03 22 Jo 10 31-42 Sexta Jesus declara-se filho de Deus

Reflexão do Pastor (12/04) – Padre João Alves – Paróquia Coração de Jesus

EVANGELHO Jo 10, 31-42

«Procuravam prendê-l’O, mas Ele escapou-Se das suas mãos»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, os judeus agarraram em pedras para apedrejarem Jesus, Então Jesus disse-lhes: «Apresentei-vos muitas boas obras, da parte de meu Pai. Por qual dessas obras Me quereis apedrejar?» Responderam os judeus: «Não é por qualquer boa obra que Te queremos apedrejar: é por blasfémia, porque Tu, sendo homem, Te fazes Deus». Disse-lhes Jesus: «Não está escrito na vossa Lei: ‘Eu disse: vós sois deuses’? Se a Lei chama ‘deuses’ a quem a palavra de Deus se dirigia – e a Escritura não pode abolir-se –, de Mim, que o Pai consagrou e enviou ao mundo, vós dizeis: ‘Estás a blasfemar’, por Eu ter dito: ‘Sou Filho de Deus’!» Se não faço as obras de meu Pai, não acrediteis. Mas se as faço, embora não acrediteis em Mim, acreditai nas minhas obras, para reconhecerdes e saberdes que o Pai está em Mim e Eu estou no Pai». De novo procuraram prendê-l’O, mas Ele escapou-Se das suas mãos. Jesus retirou-Se novamente para além do Jordão, para o local onde anteriormente João tinha estado a baptizar e lá permaneceu. Muitos foram ter com Ele e diziam: «É certo que João não fez nenhum milagre, mas tudo o que disse deste homem era verdade». E muitos ali acreditaram em Jesus.

Palavra da salvação

REFLEXÃO 

Cada vez se apresenta mais negra a luta entre Cristo e os seus ouvintes, fechados à sua palavra, seguros nas suas seguranças. Deus revela-Se e está perto dos homens na humildade de seu Filho, e prolonga esta revelação e esta presença na comunidade da fé, que é a Igreja. 

Mas, tudo isto, que devia ser aceite como sinal de aliança, torna-se ocasião de escárnio e desprezo. E assim se dá a morte ao que se destinava a ser semente de vida.

Jesus foi rejeitado pelo povo judeu no seu conjunto, apesar de ser a pessoa mais amável e encantadora É a pergunta que Jesus faz aos judeus: “Fiz-vos muitas obras boas por ordem de meu Pai. Por qual delas me apedrejais?” É a pergunta que deve ter feito também o autor do quarto evangelho, que já desde o princípio adianta a incompatibilidade entre luz e trevas, entre fé e incredulidade. “A luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz porque as suas obras eram más. 

Jesus foi rejeitado porque se rejeita a verdade, que costuma tornar-se incómoda, como juízo implacável que é das nossas fa lhas e erros. 

Se bem que as suas obras, a sua vida e a sua conduta revelassem a sua origem divina, somente através dos olhos da fé, que é dom de Deus e não conclusão forçada de argumentos e raciocínios, se podia e se pode entender a sério a pessoa de Cristo.

Peçamos continuamente a Deus o dom da Fé para envolvermos a nossa vida na vida de Jesus Cristo verdadeiro Deus e verdadeiro homem e assim sermos conduzidos à glória da Ressurreição

ORAÇÃO 

Amamos-te Pai, porque nos ouves sempre que invocamos no perigo e na tempestade. 

Pelas obras de Cristo vos reconhecemos a vós como Pai, e a ele como vossa imagem, nosso salvador e irmão maior.

Não permitais que o orgulho obscureça a nossa mente e feche o nosso coração à verdade que de vós procede.