Featured post

09 02 Sábado da vigésima semana do tempo comum

Agenda litúrgica

2023-09-02



 PRIMEIRA LEITURA

Carta de S. Paulo aos tessalicenses versículo 9 a 11

Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo
aos Tessalonicenses
Irmãos: Sobre o amor fraterno, não precisais que vos escreva, porque vós mesmos aprendestes de Deus a amar-vos uns aos outros. E assim fazeis com todos os irmãos na Macedónia. Nós vos exortamos, irmãos, a progredir cada vez mais, tendo como ponto de honra viver em paz, ocupando-vos dos vossos assuntos e trabalhando com as vossas próprias mãos, como vos ordenámos.


Palavra do Senhor.


1. O Amor Fraternal – Carta de S. Paulo aos tessalicenses versículo 9 a 11
Nesta passagem da Primeira Carta aos Tessalonicenses, S. Paulo recorda-nos que o  amor fraternal é o  pilar fundamental da nossa fé. O apóstolo diz-nos que não é necessário que ele escreva sobre o amor fraternal, pois Deus mesmo nos ensinou a amar uns aos outros. É um amor que transcende fronteiras e estende se  a todos os irmãos na fé, não importando de onde vêm ou quem são. O  amor fraternal não é estático, mas algo que devemos cultivar e fortalecer continuamente na nossa peregrinação na Fé

SALMO RESPONSORIAL Salmo 97 (98), 1.7-8.9 (R. 9)
Refrão: O Senhor julgará os povos com justiça. Repete-se

Cantai ao Senhor um cântico novo
pelas maravilhas que Ele operou.
A sua mão e o seu santo braço
Lhe deram a vitória. Refrão

Ressoe o mar e tudo o que ele encerra,
a terra inteira e tudo o que nela habita;
aplaudam os rios
e as montanhas exultem de alegria. Refrão

Diante do Senhor que vem,
que vem para julgar a terra:
julgará o mundo com justiça
e os povos com equidade. Refrão

2. Adoração e Louvor  – Salmo 97 (98)

Este salmo convida-nos  a celebrar a grandeza de Deus por meio do cântico e da adoração.  Lembra nos que Deus fez maravilhas e alcançou a vitória com Sua mão poderosa. A adoração não deve ser restrita a um local específico, mas deve ecoar até aos confins da terra. Devemos celebrar  o nome de Deus com músicas de louvor, inclinando-nos diante Dele com corações agradecidos. Esta passagem recorda nos  a importância de adorar a Deus não apenas em palavras, mas também em ações que manifestem nosso respeito e amor por Ele.

EVANGELHO Mt 25, 14-30
«Foste fiel em coisas pequenas:
vem tomar parte na alegria do teu Senhor»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos a seguinte parábola: «Um homem, ao partir de viagem, chamou os seus servos e confiou-lhes os seus bens. A um entregou cinco talentos, a outro dois e a outro um, conforme a capacidade de cada qual; e depois partiu. O que tinha recebido cinco talentos fê-los render e ganhou outros cinco. Do mesmo modo, o que recebera dois talentos ganhou outros dois. Mas, o que recebera um só talento foi escavar a terra e escondeu o dinheiro do seu senhor. Muito tempo depois, chegou o senhor daqueles servos e foi ajustar contas com eles. O que recebera cinco talentos aproximou-se e apresentou outros cinco, dizendo: ‘Senhor, confiaste-me cinco talentos: aqui estão outros cinco que eu ganhei’. Respondeu-lhe o senhor: ‘Muito bem, servo bom e fiel. Porque foste fiel em coisas pequenas, confiar-te-ei as grandes. Vem tomar parte na alegria do teu senhor’. Aproximou-se também o que recebera dois talentos e disse: ‘Senhor, confiaste-me dois talentos: aqui estão outros dois que eu ganhei’. Respondeu-lhe o senhor: ‘Muito bem, servo bom e fiel. Porque foste fiel em coisas pequenas, confiar-te-ei as grandes. Vem tomar parte na alegria do teu senhor’. Aproximou-se também o que recebera um só talento e disse: ‘Senhor, eu sabia que és um homem severo, que colhes onde não semeaste e recolhes onde nada lançaste. Por isso, tive medo e escondi o teu talento na terra. Aqui tens o que te pertence’. O senhor respondeu-lhe: ‘Servo mau e preguiçoso, sabias que ceifo onde não semeei e recolho onde nada lancei; devias, portanto, depositar no banco o meu dinheiro e eu teria, ao voltar, recebido com juro o que era meu. Tirai-lhe então o talento e dai-o àquele que tem dez. Porque, a todo aquele que tem, dar-se-á mais e terá em abundância; mas, àquele que não tem, até o pouco que tem lhe será tirado. Quanto ao servo inútil, lançai-o às trevas exteriores. Aí haverá choro e ranger de dentes’».
Palavra do salvação.

 

 


3. A Parábola dos Talentos    Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo S. Mateus

A parábola dos talentos é uma lição profunda sobre o uso responsável dos dons que Deus nos deu. Nesta parábola, o senhor confia talentos diferentes a seus servos, esperando que eles os façam frutificar. Aqueles que multiplicam seus talentos recebem elogios e recompensas, enquanto o servo que enterra seu talento é repreendido. Esta história ensina nos que Deus nos abençoou com habilidades e recursos únicos, e Ele espera que os usemos para Sua glória e para abençoar os outros. Não devemos esconder nossos dons com medo, mas sim usá-los com fé e confiança.

 

Conclusão:

 

Ao refletir sobre esses textos, somos chamados a viver nossas vidas de modo a honrar  o amor fraternal, a adoração sincera e a responsabilidade de multiplicar os talentos que Deus nos confiou.

 A nossa  fé é um chamamento  à ação, à comunhão e ao serviço.

Amanhã e em todos os dias que se seguirão, que possamos lembrar nos  dessas lições e buscar viver de acordo com os princípios que eles nos ensinam. Que a paz e a graça de Deus estejam conosco enquanto buscamos seguir o caminho do Senhor. Amém.



 

Featured post

08/19 Saturday of the 19th Week in Ordinary Time“The little children and Jesus”

: 19/08 Saturday of the 19th Week in Ordinary Time
“The little children and Jesus”


Matthew (19: 13-15)
Gospel of Our Lord Jesus Christ according to Saint Matthew
The little children and Jesus
13 Then people brought little children to Jesus for him to place his hands on them and pray for them. But the disciples rebuked them.
14 Jesus said, ‘Let the little children come to me, and do not hinder them, for the kingdom of heaven belongs to such as these.’ 15 When he had placed his hands on them, he went on from there.
The Gospel of the Lordh


: REFLECTION
The sweetness and simplicity, the constant smile, the patience, joy, joviality and the spontaneity from the Teacher of Galilee attracted all the children. Everywhere Jesus went, crowds came to hear him and children came willingly so that He would lay His hands and pray for them. Moreover, Jesus delighted in it. Jesus always taught by example and words. If He said that in order to enter the Kingdom of Heaven, we must be like children, then He Himself became a child, especially when He was among them.


children
He gave so much importance to children, to the point of saying that the Kingdom of God is theirs, and for those like them, the child is spontaneous and sees no malice in anything.
Unfortunately, adults prevent children from going to Jesus, when they are not taken to Mass, enrolled for catechesis and especially when we do not give them a good Christian example.
In today’s Gospel, the child is a symbol of being weak, without social pretensions: he is guileless and has no power or ambitions. In Jesus’ time, the child was not valued, had no social significance. The child is, therefore, the symbol of the marginalized poor, who is empty of himself, ready to receive the Kingdom of Jesus.

PRAYER
Father, May the simplicity and purity of heart of children be an example on which we must be inspired to be faithful to you and consequently deserve the Kingdom of Heaven. Amen

***********************************************************************************************************************************************************************************************************

The sweetness and simplicity, the constant smile, the patience, joy, joviality and the spontaneity from the Teacher of Galilee attracted all the children. Everywhere Jesus went, crowds came to hear him and children came willingly so that He would lay His hands and pray for them. Moreover, Jesus delighted in it. Jesus always taught by example and words. If He said that in order to enter the Kingdom of Heaven, we must be like children, then He Himself became a child, especially when He was among them.


He gave so much importance to children, to the point of saying that the Kingdom of God is theirs, and for those like them, the child is spontaneous and sees no malice in anything.
Unfortunately, adults prevent children from going to Jesus, when they are not taken to Mass, enrolled for catechesis and especially when we do not give them a good Christian example.
In today’s Gospel, the child is a symbol of being weak, without social pretensions: he is guileless and has no power or ambitions. In Jesus’ time, the child was not valued, had no social significance. The child is, therefore, the symbol of the marginalized poor, who is empty of himself, ready to receive the Kingdom of Jesus.

Picture interpretation

Could you answer some of the questions about the picture. Try to use your spiritual background and What do you see in the picture?
Can you describe the main elements or objects in the picture?
What colors do you notice in the picture?
Could you talk about the setting or background of the picture?
Are there any people in the picture? If so, what are they doing?
What emotions or feelings does the picture evoke in you?
Can you tell me about the lighting and shadows in the picture?
Do you notice any specific details or patterns in the picture?
Is there any action or movement depicted in the picture?
Could you describe the overall mood or atmosphere of the picture?
Are there any interesting or unique aspects about the picture that stand out to you?
Do you think there’s a story behind the picture? If so, what do you think it might be?
What do you think is the focal point or central point of interest in the picture?
Are there any symbols or elements in the picture that you find intriguing?
How does the picture make you feel?

Answers


[14:44, 19/08/2023] Mrs Sarah Cox: I see Jesus saying to the small child and to me!

‘With me you can do all things! You can fly like a bird or I can hold you in my arms.. you will see me in the birds and my creation! ‘

I see Jesus, in his gentleness. He is a wonder! He captures all – no one is excluded from his presence..
the smiles from the children so precious..
He may be presenting them the Holy Spirit, and that we must be like the children, humble and gentle enough to receive the dove of peace

answers

BIBLIOGRAFIA

A Arte de Ser Feliz

A Arte de Ser Feliz por Inácio Larrañaga é uma obra que explora a busca da felicidade a partir de uma perspectiva espiritual e prática. Larrañaga, um padre franciscano capuchinho, oferece orientações sobre como alcançar a verdadeira felicidade através de um relacionamento profundo com Deus e uma vida de simplicidade e amor. Ele enfatiza a importância de:

Viver no Presente: Aproveitar cada momento da vida, valorizando as pequenas coisas e sendo grato pelo que se tem.

Amar Incondicionalmente: O amor é central para a felicidade, e devemos amar sem esperar nada em troca.

Perdoar e Libertar-se: O perdão é essencial para a paz interior e para deixar para trás mágoas e ressentimentos.

Confiança em Deus: Ter uma fé sólida e confiar em Deus nos momentos difíceis, sabendo que Ele cuida de nós.

Simplicidade e Desapego: Viver de forma simples e desapegada dos bens materiais, focando no que realmente importa.

Larrañaga nos convida a uma reflexão profunda sobre a nossa vida e como podemos transformá-la através de pequenas mudanças e uma espiritualidade viva e prática. A verdadeira felicidade, segundo ele, está ao alcance de todos que buscam viver em harmonia com Deus e com o próximo.

O mestre da sensibilidade Cury

O Mestre da Sensibilidade é um livro do renomado autor e psiquiatra brasileiro Augusto Cury. Neste livro, Cury explora a importância da sensibilidade emocional e a capacidade de se conectar profundamente com os outros e consigo mesmo. Ele aborda como desenvolver uma mente saudável e equilibrada, além de destacar a importância de cultivar a inteligência emocional. Aqui estão alguns pontos principais do livro:

Inteligência Emocional: Cury enfatiza a importância de entender e gerenciar as próprias emoções. Desenvolver a inteligência emocional é crucial para viver de forma plena e harmoniosa.

Empatia e Compaixão: Ser sensível às emoções e necessidades dos outros é um componente essencial para construir relacionamentos significativos e saudáveis.

Autoconhecimento: Conhecer a si mesmo é fundamental para reconhecer padrões emocionais e comportamentais, permitindo uma vida mais autêntica e feliz.

Gestão do Estresse: Técnicas e estratégias para lidar com o estresse são discutidas, ajudando a manter a calma e o equilíbrio em situações desafiadoras.

Resiliência: Desenvolver a capacidade de se recuperar de adversidades é vital para uma vida emocionalmente saudável.

Mindfulness: A prática da atenção plena ajuda a estar presente no momento, reduzindo a ansiedade e aumentando a qualidade de vida.

Cultura de Paz: Promover a paz interior e nas relações interpessoais é um dos objetivos que Cury defende para uma sociedade mais harmoniosa.

O Mestre da Sensibilidade é um convite para uma jornada de autodescoberta e aprimoramento emocional. Cury utiliza sua experiência como psiquiatra para oferecer insights profundos e práticos sobre como podemos ser mais sensíveis, empáticos e emocionalmente inteligentes em nossa vida diária.

A Palavra de cada dia Caballero 

**A Palavra de Cada Dia** é um livro do padre espanhol José Luis Martín Descalzo, também conhecido como Caballero. Esta obra é uma coleção de reflexões diárias baseadas em passagens da Bíblia, com o objetivo de inspirar e guiar os leitores em sua vida espiritual diária. Cada reflexão é projetada para ajudar os fiéis a meditar sobre a Palavra de Deus e aplicá-la em suas vidas cotidianas. Aqui estão alguns aspectos principais do livro:

1. **Reflexões Diárias:** O livro oferece uma meditação para cada dia do ano, baseada nas leituras bíblicas do dia. Isso permite que os leitores tenham um momento diário de introspecção e ligação com Deus.

2. **Aplicação Prática:** Cada reflexão não só interpreta a passagem bíblica, mas também oferece sugestões práticas sobre como viver de acordo com os ensinamentos de Cristo.

3. **Espiritualidade:** As meditações encorajam uma espiritualidade profunda e autêntica, incentivando os leitores a fortalecerem sua fé e seu relacionamento com Deus.

4. **Relevância Contemporânea:** As reflexões são escritas de maneira a serem relevantes para as questões e desafios da vida moderna, ajudando os leitores a encontrar respostas e orientação nas Escrituras.

5. **Crescimento Pessoal:** O livro serve como uma ferramenta para o crescimento espiritual e pessoal, ajudando os leitores a se tornarem mais conscientes da presença de Deus em suas vidas e a viver de acordo com Seus ensinamentos.

6. **Inspiração e Conforto:** As meditações diárias oferecem palavras de inspiração e conforto, lembrando aos leitores do amor e da misericórdia de Deus.

**A Palavra de Cada Dia** é um companheiro espiritual valioso para qualquer pessoa que deseje aprofundar sua fé e viver mais plenamente os ensinamentos de Cristo. Ao proporcionar uma reflexão diária, o livro ajuda os fiéis a manterem uma conexão constante com Deus e a encontrar sabedoria e orientação nas Escrituras Sagradas.

Claro, aqui estão os títulos e as observações para cada livro mencionado:

## 1. **Tudo Pode Ser Curado** – Martin Brofman

#**Observações:**

– **Autor:** Martin Brofman, conhecido por suas técnicas de cura e espiritualidade.

– **Conteúdo:** Explora métodos alternativos de cura que combinam a medicina tradicional com práticas holísticas. Brofman introduz o Sistema de Cura Corpo-Espelho, que associa desequilíbrios físicos a estados emocionais e psicológicos.

– **Relevância:** Útil para quem busca complementar tratamentos médicos tradicionais com abordagens integrativas e espirituais para a saúde e bem-estar.

### 2. **Reconstruir a Minha Casa Emocional** – Rute Agulhas e Filipa Palha

**Observações:**

– **Autoras:** Rute Agulhas, psicóloga clínica, e Filipa Palha, especialista em saúde mental.

– **Conteúdo:** Aborda a importância da saúde emocional e oferece estratégias práticas para superar traumas e fortalecer a resiliência emocional. Foca na reconstrução interna após experiências de dor e sofrimento.

– **Relevância:** Ideal para leitores que procuram melhorar sua saúde mental e emocional, aprender a lidar com traumas e desenvolver uma vida mais equilibrada e saudável.

### 3. **Pensamento Positivo** – Vera Peiffer

**Observações:**

– **Autora:** Vera Peiffer, especialista em hipnoterapia e psicologia.

– **Conteúdo:** Explora o poder do pensamento positivo e como ele pode transformar a vida pessoal e profissional. Oferece técnicas para cultivar uma mentalidade otimista e resiliente, abordando também os benefícios psicológicos e físicos do otimismo.

– **Relevância:** Recomendado para quem deseja adotar uma perspectiva mais positiva na vida, aprender a enfrentar desafios com otimismo e melhorar sua qualidade de vida através da mudança de mindset.

### 4. **A Vida Não Dá Jeito, Eu Dou Jeito Na Vida** – Ricardo Vargas

**Observações:**

– **Autor:** Ricardo Vargas, conhecido por seu trabalho na área de gestão de projetos e desenvolvimento pessoal.

– **Conteúdo:** O livro é uma coleção de testemunhos e reflexões, destacando a importância da proatividade e da atitude positiva frente às adversidades. Vargas compartilha experiências e conselhos sobre como tomar controle da própria vida e superar obstáculos.

– **Relevância:** Inspirador para leitores que buscam motivação e estratégias práticas para lidar com os desafios da vida cotidiana, promovendo uma abordagem ativa e confiante.

### 5. **Rádio Maria Testemunhos**

**Observações:**

– **Organização:** Compilação de testemunhos transmitidos pela Rádio Maria.

– **Conteúdo:** Coletânea de histórias e testemunhos de fé, transformação e milagres compartilhados por ouvintes da Rádio Maria. Cada relato oferece uma visão pessoal e íntima da ação de Deus na vida das pessoas.

– **Relevância:** Encantador para aqueles que se inspiram em histórias de fé e busca espiritual, fornecendo exemplos concretos de como a fé pode impactar e transformar vidas.

Essas observações fornecem uma visão geral de cada livro, destacando os principais temas e a relevância para os leitores interessados em crescimento pessoal, saúde emocional e espiritualidade.

05 31 SEXTA-FEIRA da semana VIII

Visitação da Virgem santa Maria – FESTA
Branco – Ofício da festa. Te Deum.
Missa própria, Glória, pf. da Virgem santa Maria.

L 1 Sf 3, 14-18 ou Rm 12, 9-16b; Sl Is 12, 2. 3-4bcd. 5-6
Ev Lc 1, 39-56

* Proibidas as Missas de defuntos, exceto a exequial.
* Na Diocese de Beja – Aniversário da Dedicação da Igreja Catedral. Na Sé – SOLENIDADE; nas outras igrejas da Diocese – Visitação da Virgem santa Maria – FESTA
* Aniversário da Ordenação episcopal de D. José Francisco Sanches Alves, Bispo Emérito de Évora (1998).
* Na Ordem da Visitação de Santa Maria – Visitação da Virgem santa Maria – SOLENIDADE
* Na Congregação das Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus – Virgem santa Maria do Sagrado Coração de Jesus, Padroeira da Congregação – SOLENIDADE
* Na Sociedade Missionária da Boa Nova – Virgem santa Maria da Boa Nova – FESTA
* Na Congregação dos Rogacionistas do Coração de Jesus – I Vésp. de S. Aníbal Maria de França.
* Na Congregação dos Missionários e Missionárias de S. Carlos (Scalabrinianos/as) – I Vésp. de S. João Batista Scalabrini.

Liturgia diária

Agenda litúrgica

2024-05-31

SEXTA-FEIRA da semana VIII

Visitação da Virgem santa Maria – FESTA
Branco – Ofício da festa. Te Deum.
Missa própria, Glória, pf. da Virgem santa Maria.

L 1 Sf 3, 14-18 ou Rm 12, 9-16b; Sl Is 12, 2. 3-4bcd. 5-6
Ev Lc 1, 39-56

* Proibidas as Missas de defuntos, exceto a exequial.
* Na Diocese de Beja – Aniversário da Dedicação da Igreja Catedral. Na Sé – SOLENIDADE; nas outras igrejas da Diocese – Visitação da Virgem santa Maria – FESTA
* Aniversário da Ordenação episcopal de D. José Francisco Sanches Alves, Bispo Emérito de Évora (1998).
* Na Ordem da Visitação de Santa Maria – Visitação da Virgem santa Maria – SOLENIDADE
* Na Congregação das Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus – Virgem santa Maria do Sagrado Coração de Jesus, Padroeira da Congregação – SOLENIDADE
* Na Sociedade Missionária da Boa Nova – Virgem santa Maria da Boa Nova – FESTA
* Na Congregação dos Rogacionistas do Coração de Jesus – I Vésp. de S. Aníbal Maria de França.
* Na Congregação dos Missionários e Missionárias de S. Carlos (Scalabrinianos/as) – I Vésp. de S. João Batista Scalabrini.

Santo

Visitação da Virgem santa Maria

Liturgia diária

Agenda litúrgica

2024-05-31

SEXTA-FEIRA da semana VIII

Visitação da Virgem santa Maria – FESTA
Branco – Ofício da festa. Te Deum.
Missa própria, Glória, pf. da Virgem santa Maria.

L 1 Sf 3, 14-18 ou Rm 12, 9-16b; Sl Is 12, 2. 3-4bcd. 5-6
Ev Lc 1, 39-56

* Proibidas as Missas de defuntos, exceto a exequial.
* Na Diocese de Beja – Aniversário da Dedicação da Igreja Catedral. Na Sé – SOLENIDADE; nas outras igrejas da Diocese – Visitação da Virgem santa Maria – FESTA
* Aniversário da Ordenação episcopal de D. José Francisco Sanches Alves, Bispo Emérito de Évora (1998).
* Na Ordem da Visitação de Santa Maria – Visitação da Virgem santa Maria – SOLENIDADE
* Na Congregação das Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus – Virgem santa Maria do Sagrado Coração de Jesus, Padroeira da Congregação – SOLENIDADE
* Na Sociedade Missionária da Boa Nova – Virgem santa Maria da Boa Nova – FESTA
* Na Congregação dos Rogacionistas do Coração de Jesus – I Vésp. de S. Aníbal Maria de França.
* Na Congregação dos Missionários e Missionárias de S. Carlos (Scalabrinianos/as) – I Vésp. de S. João Batista Scalabrini.

Santo

Visitação da Virgem santa Maria

05 30 Quinta-FEIRA da semana VIII

Liturgia diária

Agenda litúrgica

2024-05-30

Quinta-FEIRA da semana VIII

SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO
SOLENIDADE
Branco – Ofício da solenidade. Te Deum.
† Missa própria, Glória, sequência facultativa, Credo,
pf. da Eucaristia.

L 1 Ex 24, 3-8; Sl 115, 12-13. 15 e 16bc. 17-18
L 2 Heb 9, 11-15
Ev Mc 14, 12-16. 22-26

* Proibidas todas as Missas de defuntos, mesmo a exequial.
* Em Portugal – Dia santificado e feriado nacional.
* Na Congregação das Irmãs «Filhas da Igreja» – Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, Titular da Congregação – SOLENIDADE
* No Instituto das Servas Franciscanas Reparadoras de Jesus Sacramentado – Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, Titular do Instituto – SOLENIDADE
* Nas Dioceses de Cabo Verde – Ofício e Missa da féria.
* Em Portugal – II Vésp. da solenidade – Compl. dep. II Vésp. dom.

Ano B

Missa

Onde a solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo não é dia de preceito, celebra-se no Domingo depois da Santíssima Trindade.

Antífona de entrada Cf. Sl 80, 17
O Senhor alimentou o seu povo com a flor da farinha
e saciou-o com o mel do rochedo.

Diz-se o Glória.

Oração coleta
Senhor Jesus Cristo,
que, neste admirável sacramento,
nos deixastes o memorial da vossa paixão,
concedei-nos a graça de venerar de tal modo
os sagrados mistérios do vosso Corpo e Sangue
que sintamos continuamente os frutos da vossa redenção.
Vós que sois Deus e viveis e reinais com o Pai,
na unidade do Espírito Santo, por todos os séculos dos séculos.

LEITURA I Ex 24, 3-8
«Este é o sangue da aliança que Deus firmou convosco»

O Santíssimo Sacramento – o Sacramento Santo por excelência – é o sacramento do Sacrifício que Cristo ofereceu sobre a Cruz. O sacrifício significa e realiza a aliança entre Deus e o homem. Já Moisés tinha celebrado um sacrifício de aliança, que esta leitura vem evocar, aliança selada com o Sangue. Tratava-se então da aliança antiga; mas Jesus dará finalmente o Sangue da nova aliança, o seu próprio Sangue. Na última ceia, ao entregar aos discípulos o cálice do seu Sangue, Jesus há de referir-Se àquele sangue da aliança ao dizer que o seu é o Sangue da aliança “nova”.

Leitura do Livro do Êxodo
Naqueles dias, Moisés veio comunicar ao povo todas as palavras do Senhor e todas as suas leis. O povo inteiro respondeu numa só voz: «Faremos tudo o que o Senhor ordenou». Moisés escreveu todas as palavras do Senhor. No dia seguinte, levantou-se muito cedo, construiu um altar no sopé do monte e ergueu doze pedras pelas doze tribos de Israel. Depois mandou que alguns jovens israelitas oferecessem holocaustos e imolassem novilhos, como sacrifícios pacíficos ao Senhor. Moisés recolheu metade do sangue, deitou-o em vasilhas e derramou a outra metade sobre o altar. Depois, tomou o Livro da Aliança e leu-o em voz alta ao povo, que respondeu: «Faremos quanto o Senhor disse e em tudo obedeceremos». Então, Moisés tomou o sangue e aspergiu com ele o povo, dizendo: «Este é o sangue da aliança que o Senhor firmou convosco, mediante todas estas palavras».
Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL Salmo 115 (116), 12-13.15.16bc.17-18 (R.13)
Refrão: Tomarei o cálice da salvação
e invocarei o nome do Senhor. Repete-se

Ou: Elevarei o cálice da salvação,
invocando o nome do Senhor. Repete-se

Como agradecerei ao Senhor
tudo quanto Ele me deu?
Elevarei o cálice da salvação,
invocando o nome do Senhor. Refrão

É preciosa aos olhos do Senhor
a morte dos seus fiéis.
Senhor, sou vosso servo, filho da vossa serva:
quebrastes as minhas cadeias. Refrão

Oferecer-Vos-ei um sacrifício de louvor,
invocando, Senhor, o vosso nome.
Cumprirei as minhas promessas ao Senhor,
na presença de todo o povo. Refrão

LEITURA II Hebr 9, 11-15
«O sangue de Cristo purificará a nossa consciência»

A festa de hoje chama-se atualmente Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo. De fato, também o sangue exprime e de maneira particularmente significativa a vida que o Senhor deu por nós, para estabelecer, de uma vez para sempre, a nova e eterna Aliança.

Leitura da Epístola aos Hebreus
Irmãos: Cristo veio como sumo sacerdote dos bens futuros. Atravessou o tabernáculo maior e mais perfeito, que não foi feito por mãos humanas, nem pertence a este mundo, e entrou de uma vez para sempre no Santuário. Não derramou sangue de cabritos e novilhos, mas o seu próprio Sangue, e alcançou-nos uma redenção eterna. Na verdade, se o sangue de cabritos e de toiros e a cinza de vitela, aspergidos sobre os que estão impuros, os santificam em ordem à pureza legal, quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno Se ofereceu a Deus como vítima sem mancha, purificará a nossa consciência das obras mortas, para servirmos ao Deus vivo! Por isso, Ele é mediador de uma nova aliança, para que, intervindo a sua morte para remissão das transgressões cometidas durante a primeira aliança, os que são chamados recebam a herança eterna prometida.
Palavra do Senhor.

ALELUIA Jo 6, 51
Refrão: Aleluia. Repete-se
Eu sou o pão vivo descido do Céu, diz o Senhor.
Quem comer deste pão viverá eternamente. Refrão

EVANGELHO Mc 14, 12-16.22-26
«Isto é o meu Corpo. Este é o meu Sangue»

No sacramento do seu Corpo e Sangue, Jesus deixou-nos o memorial do seu sacrifício para que o celebrássemos em memória d’Ele, até que Ele venha no fim dos tempos. Por isso, sempre que celebramos a Eucaristia, proclamamos a morte do Senhor e renovamos a Aliança com Deus, que, na sua morte, Cristo selou em nosso favor.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
No primeiro dia dos Ázimos, em que se imolava o cordeiro pascal, os discípulos perguntaram a Jesus: «Onde queres que façamos os preparativos para comer a Páscoa?». Jesus enviou dois discípulos e disse-lhes: «Ide à cidade. Virá ao vosso encontro um homem com uma bilha de água. Segui-o e, onde ele entrar, dizei ao dono da casa: «O Mestre pergunta: Onde está a sala, em que hei de comer a Páscoa com os meus discípulos?». Ele vos mostrará uma grande sala no andar superior, alcatifada e pronta. Preparai-nos lá o que é preciso». Os discípulos partiram e foram à cidade. Encontraram tudo como Jesus lhes tinha dito e prepararam a Páscoa. Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, recitou a bênção e partiu-o, deu-o aos discípulos e disse: «Tomai: isto é o meu Corpo». Depois tomou um cálice, deu graças e entregou-lho. E todos beberam dele. Disse Jesus: «Este é o meu Sangue, o Sangue da nova aliança, derramado pela multidão dos homens. Em verdade vos digo: Não voltarei a beber do fruto da videira, até ao dia em que beberei do vinho novo no reino de Deus». Cantaram os salmos e saíram para o monte das Oliveiras.
Palavra da salvação.

Diz-se o Credo.

Oração sobre as oblatas
Concedei, Senhor, à vossa Igreja
o dom da unidade e da paz,
que estas oferendas misticamente simbolizam.
Por Cristo nosso Senhor.

PREFÁCIO
Prefácio I ou II da Santíssima Eucaristia.

PREFÁCIO I DA SANTÍSSIMA EUCARISTIA
O sacrifício e o sacramento de Cristo

Este prefácio diz-se na Missa da Ceia do Senhor; pode dizer-se também na solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo e nas Missas votivas da Santíssima Eucaristia.

V. O Senhor esteja convosco.
R. Ele está no meio de nós.
V. Corações ao alto.
R. O nosso coração está em Deus.
V. Dêmos graças ao Senhor nosso Deus.
R. É nosso dever, é nossa salvação.

Senhor, Pai santo, Deus eterno e omnipotente,
é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação
dar-Vos graças, sempre e em toda a parte,
por nosso Senhor Jesus Cristo.
Verdadeiro e eterno sacerdote,
oferecendo-Se como vítima de salvação,
instituiu o sacrifício da nova e eterna aliança
e mandou que o celebrássemos em sua memória.
O seu Corpo, por nós imolado,
é alimento que nos fortalece
e o seu Sangue, por nós derramado,
é bebida que nos purifica.
Por isso, com os anjos e os arcanjos,
os tronos e as dominações
e todos os coros celestes,
proclamamos a vossa glória,
dizendo (cantando) numa só voz:

Santo, Santo, Santo,
Senhor Deus do universo.
O céu e a terra proclamam a vossa glória.
Hossana nas alturas.
Bendito O que vem em nome do Senhor.
Hossana nas alturas.

PREFÁCIO II DA SANTÍSSIMA EUCARISTIA
Os frutos da Santíssima Eucaristia

Este prefácio diz-se na solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo e nas Missas votivas da Santíssima Eucaristia.

V. O Senhor esteja convosco.
R. Ele está no meio de nós.
V. Corações ao alto.
R. O nosso coração está em Deus.
V. Dêmos graças ao Senhor nosso Deus.
R. É nosso dever, é nossa salvação.

Senhor, Pai santo, Deus eterno e omnipotente,
é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação
dar-Vos graças, sempre e em toda a parte, por nosso Senhor Jesus Cristo.
Reunido com os apóstolos na Última Ceia,
para perpetuar a sua paixão salvadora,
entregou-Se a Si mesmo como cordeiro imaculado e sacrifício perfeito.
Neste sagrado mistério, alimentais e santificais os fiéis,
para que os homens do mundo inteiro
sejam iluminados pela mesma fé e unidos pela mesma caridade.
Assim nos reunimos à mesa deste admirável sacramento,
para que a abundância da vossa graça nos faça participantes da vida celeste.
Por isso, todas as criaturas, no céu e na terra,
Vos adoram, cantando um cântico novo.
E também nós, com todos os coros dos anjos,
proclamamos a vossa glória, dizendo (cantando) numa só voz:

Santo, Santo, Santo,
Senhor Deus do universo.
O céu e a terra proclamam a vossa glória.
Hossana nas alturas.
Bendito O que vem em nome do Senhor.
Hossana nas alturas.

Antífona da comunhão Cf. Jo 6, 57
Quem come a minha Carne e bebe o meu Sangue
permanece em Mim e Eu nele, diz o Senhor.
Oração depois da comunhão
Concedei-nos, Senhor Jesus Cristo,
a participação eterna da vossa divindade,
que é prefigurada nesta comunhão
do vosso precioso Corpo e Sangue.
Vós que viveis e reinais pelos séculos dos séculos.

2024-05-29 QUARTA-FEIRA da semana VIII

Liturgia diária

Agenda litúrgica

2024-05-29 QUARTA-FEIRA da semana VIII

QUARTA-FEIRA da semana VIII

S. Paulo VI, papa – MO
Branco – Ofício da memória.
Missa da memória.

L 1 1Pd 1, 18-25; Sl 147, 12-13. 14-15. 19-20
Ev Mc 10, 32-45

* Aniversário da Ordenação episcopal de D. António José Cavaco Carrilho, Bispo Emérito do Funchal (1999).
* Na Ordem de Malta – S. Paulo VI, Papa e Bailio Grã-Cruz da Ordem – MO
* Na Congregação Salesiana e no Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora – B. José Kowalski, presbítero e mártir – MO e MF
* Em Portugal – I Vésp. do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo – Compl. dep. I Vésp. dom.

Missa

Antífona de entrada Cf. Sl 17, 19-20
O Senhor veio em meu auxílio,
livrou-me da angústia e pôs-me em liberdade.
Levou-me para lugar seguro,
salvou-me porque me tem amor.

Oração coleta
Fazei, Senhor,
que os acontecimentos do mundo
decorram para nós segundo os vossos desígnios de paz
e a Igreja Vos possa servir na tranquilidade e na alegria.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.

LEITURA I (anos pares) 1 Pedro 1, 18-25
«Fostes resgatados pelo sangue precioso
de Cristo, Cordeiro sem mancha»

No plano de Deus para salvar os homens ocupa lugar eminente e único o sacrifício do Cordeiro imaculado Jesus Cristo, na Cruz. É pela oblação do Senhor Jesus que vem a libertação para todos nós, libertação que se manifesta na sua Ressurreição. A aceitação deste plano de salvação há de manifestar-se, pois, agora na vida de cada crente: obediência à palavra de Deus, amor fraterno, olhar levantado para a vida imortal, anunciada pela mesma palavra do Senhor.

Leitura da Primeira Epístola de São Pedro
Caríssimos: Lembrai-vos que não foi por coisas corruptíveis, como prata e ouro, que fostes resgatados da vã maneira de viver, herdada dos vossos pais, mas pelo sangue precioso de Cristo, Cordeiro sem defeito e sem mancha, predestinado antes da criação do mundo e manifestado nos últimos tempos por vossa causa. Por Ele acreditais em Deus, que O ressuscitou dos mortos e Lhe deu a glória, para que a vossa fé e a vossa esperança estejam em Deus. Obedecendo à verdade, purificastes as vossas almas para vos amardes sinceramente como irmãos. Amai-vos intensamente uns aos outros de todo o coração, porque vós renascestes, não de uma semente corruptível, mas incorruptível, que é a palavra de Deus, viva e eterna. Na verdade, «todo o ser mortal é como a erva e todo o seu esplendor como a flor da erva. A erva seca e a flor cai; mas a palavra do Senhor permanece eternamente». Esta é a palavra que vos foi anunciada.
Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL Salmo 147, 12-13.14-15.19-20 (R. 12a)
Refrão: Jerusalém, louva o teu Senhor. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se

Glorifica, Jerusalém, o Senhor,
louva, Sião, o teu Deus.
Ele reforçou as tuas portas
e abençoou os teus filhos. Refrão

Estabeleceu a paz nas tuas fronteiras
e saciou-te com a flor da farinha.
Envia à terra a sua palavra,
corre veloz a sua mensagem. Refrão

Revelou a sua palavra a Jacob,
suas leis e preceitos a Israel.
Não fez assim com nenhum outro povo,
a nenhum outro manifestou os seus juízos. Refrão

ALELUIA Mc 10, 45
Refrão: Aleluia Repete-se

O Filho do homem veio para servir
e dar a vida pela redenção de todos. Refrão

EVANGELHO Mc 10, 32-45
«Subimos para Jerusalém
e o Filho do homem será entregue»

Três pequenas secções compõem esta passagem do Evangelho: Jesus, a caminho de Jerusalém, anuncia, pela terceira vez, a sua Paixão; os filhos de Zebedeu, os Apóstolos Tiago e João, com uma maneira de ver ainda muito pouco evangélica, apresentam-se como candidatos aos mais altos lugares no reino dos Céus; por fim, e como resposta a tal pedido, Jesus esclarece que o lugar dos chefes é servir e não ser servido, como acontece com Ele próprio. A glória virá a seu tempo; mas agora, “subimos a Jerusalém”, é a hora de “dar a vida pela redenção de todos”.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Naquele tempo, Jesus e os discípulos subiam a caminho de Jerusalém. Jesus ia à sua frente. Os discípulos estavam preocupados e aqueles que os acompanhavam iam com medo. Jesus tomou então novamente os Doze consigo e começou a dizer-lhes o que Lhe ia acontecer: «Vede que subimos para Jerusalém e o Filho do homem será entregue aos príncipes dos sacerdotes e aos escribas. Vão condená-l’O à morte e entregá-l’O aos gentios; hão de escarnecê-l’O, cuspir-Lhe, açoitá-l’O e dar-Lhe a morte. Mas ao terceiro dia ressuscitará». Tiago e João, filhos de Zebedeu, aproximaram-se de Jesus e disseram-Lhe: «Mestre, nós queremos que nos faças o que Te vamos pedir». Jesus respondeu-lhes: «Que quereis que vos faça?». Eles responderam: «Concede-nos que, na tua glória, nos sentemos um à tua direita e outro à tua esquerda». Disse-lhes Jesus: «Não sabeis o que pedis. Podeis beber o cálice que Eu vou beber e receber o batismo com que Eu vou ser batizado?». Eles responderam-Lhe: «Podemos». Então Jesus disse-lhes: «Bebereis o cálice que Eu vou beber e sereis batizados com o batismo com que Eu vou ser batizado. Mas sentar-se à minha direita ou à minha esquerda não Me pertence a Mim concedê-lo; é para aqueles a quem está reservado». Os outros dez, ouvindo isto, começaram a indi¬gnar-se contra Tiago e João. Jesus chamou-os e disse-lhes: «Sabeis que os que são considerados como chefes das nações exercem domínio sobre elas e os grandes fazem sentir sobre elas o seu poder. Não deve ser assim entre vós: quem entre vós quiser tornar-se grande, será vosso servo, e quem quiser entre vós ser o primeiro, será escravo de todos; porque o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida pela redenção de todos».
Palavra da salvação.

Oração sobre as oblatas
Senhor nosso Deus,
que nos concedeis estes dons que Vos oferecemos
e nos atribuís o mérito do oferecimento,
nós Vos suplicamos:
o que nos dais como fonte de mérito
nos obtenha o prémio da felicidade eterna.
Por Cristo nosso Senhor.

Antífona da comunhão Cf. Sl 12, 6
Cantarei ao Senhor pelo bem que me fez,
exaltarei o nome do Senhor, cantarei hinos ao Altíssimo.

Ou: Cf. Mt 28, 20
Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos, diz o Senhor.

Oração depois da comunhão
Senhor, que nos saciais com os vossos dons sagrados,
concedei-nos, por este sacramento,
com que nos alimentais na vida presente,
a comunhão convosco na vida eterna.
Por Cristo nosso Senhor.

05 29 QUARTA-FEIRA da semana VIII

Liturgia diária

Agenda litúrgica

2024-05-29

QUARTA-FEIRA da semana VIII

S. Paulo VI, papa – MO
Branco – Ofício da memória.
Missa da memória.

L 1 1Pd 1, 18-25; Sl 147, 12-13. 14-15. 19-20
Ev Mc 10, 32-45

* Aniversário da Ordenação episcopal de D. António José Cavaco Carrilho, Bispo Emérito do Funchal (1999).
* Na Ordem de Malta – S. Paulo VI, Papa e Bailio Grã-Cruz da Ordem – MO
* Na Congregação Salesiana e no Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora – B. José Kowalski, presbítero e mártir – MO e MF
* Em Portugal – I Vésp. do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo – Compl. dep. I Vésp. dom.

Missa

Antífona de entrada Cf. Sl 17, 19-20
O Senhor veio em meu auxílio,
livrou-me da angústia e pôs-me em liberdade.
Levou-me para lugar seguro,
salvou-me porque me tem amor.

Oração coleta
Fazei, Senhor,
que os acontecimentos do mundo
decorram para nós segundo os vossos desígnios de paz
e a Igreja Vos possa servir na tranquilidade e na alegria.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.

LEITURA I (anos pares) 1 Pedro 1, 18-25
«Fostes resgatados pelo sangue precioso
de Cristo, Cordeiro sem mancha»

No plano de Deus para salvar os homens ocupa lugar eminente e único o sacrifício do Cordeiro imaculado Jesus Cristo, na Cruz. É pela oblação do Senhor Jesus que vem a libertação para todos nós, libertação que se manifesta na sua Ressurreição. A aceitação deste plano de salvação há de manifestar-se, pois, agora na vida de cada crente: obediência à palavra de Deus, amor fraterno, olhar levantado para a vida imortal, anunciada pela mesma palavra do Senhor.

Leitura da Primeira Epístola de São Pedro
Caríssimos: Lembrai-vos que não foi por coisas corruptíveis, como prata e ouro, que fostes resgatados da vã maneira de viver, herdada dos vossos pais, mas pelo sangue precioso de Cristo, Cordeiro sem defeito e sem mancha, predestinado antes da criação do mundo e manifestado nos últimos tempos por vossa causa. Por Ele acreditais em Deus, que O ressuscitou dos mortos e Lhe deu a glória, para que a vossa fé e a vossa esperança estejam em Deus. Obedecendo à verdade, purificastes as vossas almas para vos amardes sinceramente como irmãos. Amai-vos intensamente uns aos outros de todo o coração, porque vós renascestes, não de uma semente corruptível, mas incorruptível, que é a palavra de Deus, viva e eterna. Na verdade, «todo o ser mortal é como a erva e todo o seu esplendor como a flor da erva. A erva seca e a flor cai; mas a palavra do Senhor permanece eternamente». Esta é a palavra que vos foi anunciada.
Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL Salmo 147, 12-13.14-15.19-20 (R. 12a)
Refrão: Jerusalém, louva o teu Senhor. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se

Glorifica, Jerusalém, o Senhor,
louva, Sião, o teu Deus.
Ele reforçou as tuas portas
e abençoou os teus filhos. Refrão

Estabeleceu a paz nas tuas fronteiras
e saciou-te com a flor da farinha.
Envia à terra a sua palavra,
corre veloz a sua mensagem. Refrão

Revelou a sua palavra a Jacob,
suas leis e preceitos a Israel.
Não fez assim com nenhum outro povo,
a nenhum outro manifestou os seus juízos. Refrão

ALELUIA Mc 10, 45
Refrão: Aleluia Repete-se

O Filho do homem veio para servir
e dar a vida pela redenção de todos. Refrão

EVANGELHO Mc 10, 32-45
«Subimos para Jerusalém
e o Filho do homem será entregue»

Três pequenas secções compõem esta passagem do Evangelho: Jesus, a caminho de Jerusalém, anuncia, pela terceira vez, a sua Paixão; os filhos de Zebedeu, os Apóstolos Tiago e João, com uma maneira de ver ainda muito pouco evangélica, apresentam-se como candidatos aos mais altos lugares no reino dos Céus; por fim, e como resposta a tal pedido, Jesus esclarece que o lugar dos chefes é servir e não ser servido, como acontece com Ele próprio. A glória virá a seu tempo; mas agora, “subimos a Jerusalém”, é a hora de “dar a vida pela redenção de todos”.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Naquele tempo, Jesus e os discípulos subiam a caminho de Jerusalém. Jesus ia à sua frente. Os discípulos estavam preocupados e aqueles que os acompanhavam iam com medo. Jesus tomou então novamente os Doze consigo e começou a dizer-lhes o que Lhe ia acontecer: «Vede que subimos para Jerusalém e o Filho do homem será entregue aos príncipes dos sacerdotes e aos escribas. Vão condená-l’O à morte e entregá-l’O aos gentios; hão de escarnecê-l’O, cuspir-Lhe, açoitá-l’O e dar-Lhe a morte. Mas ao terceiro dia ressuscitará». Tiago e João, filhos de Zebedeu, aproximaram-se de Jesus e disseram-Lhe: «Mestre, nós queremos que nos faças o que Te vamos pedir». Jesus respondeu-lhes: «Que quereis que vos faça?». Eles responderam: «Concede-nos que, na tua glória, nos sentemos um à tua direita e outro à tua esquerda». Disse-lhes Jesus: «Não sabeis o que pedis. Podeis beber o cálice que Eu vou beber e receber o batismo com que Eu vou ser batizado?». Eles responderam-Lhe: «Podemos». Então Jesus disse-lhes: «Bebereis o cálice que Eu vou beber e sereis batizados com o batismo com que Eu vou ser batizado. Mas sentar-se à minha direita ou à minha esquerda não Me pertence a Mim concedê-lo; é para aqueles a quem está reservado». Os outros dez, ouvindo isto, começaram a indi¬gnar-se contra Tiago e João. Jesus chamou-os e disse-lhes: «Sabeis que os que são considerados como chefes das nações exercem domínio sobre elas e os grandes fazem sentir sobre elas o seu poder. Não deve ser assim entre vós: quem entre vós quiser tornar-se grande, será vosso servo, e quem quiser entre vós ser o primeiro, será escravo de todos; porque o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida pela redenção de todos».
Palavra da salvação.

Oração sobre as oblatas
Senhor nosso Deus,
que nos concedeis estes dons que Vos oferecemos
e nos atribuís o mérito do oferecimento,
nós Vos suplicamos:
o que nos dais como fonte de mérito
nos obtenha o prémio da felicidade eterna.
Por Cristo nosso Senhor.

Antífona da comunhão Cf. Sl 12, 6
Cantarei ao Senhor pelo bem que me fez,
exaltarei o nome do Senhor, cantarei hinos ao Altíssimo.

Ou: Cf. Mt 28, 20
Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos, diz o Senhor.

Oração depois da comunhão
Senhor, que nos saciais com os vossos dons sagrados,
concedei-nos, por este sacramento,
com que nos alimentais na vida presente,
a comunhão convosco na vida eterna.
Por Cristo nosso Senhor.

Santo

S. Paulo VI

05 28 TERÇA-FEIRA da semana VIII

Liturgia diária

Agenda litúrgica

2024-05-28 TERÇA-FEIRA da semana VIII

TERÇA-FEIRA da semana VIII

Verde – Ofício da féria.
Missa à escolha.

L 1 1Pd 1, 10-16; Sl 97 (98), 1. 2-3ab. 3cd-4
Ev Mc 10, 28-31

* Na Ordem Franciscana – S. Maria Ana de Paredes, virgem, da III Ordem – MF
* Na Ordem de Malta – S. Ubaldesca de Taccini, virgem e religiosa – MO

Missa

Antífona de entrada Cf. Sl 17, 19-20
O Senhor veio em meu auxílio,
livrou-me da angústia e pôs-me em liberdade.
Levou-me para lugar seguro,
salvou-me porque me tem amor.

Oração coleta
Fazei, Senhor,
que os acontecimentos do mundo
decorram para nós segundo os vossos desígnios de paz
e a Igreja Vos possa servir na tranquilidade e na alegria.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.

LEITURA I 1 Pedro 1, 10-16
«Os Profetas predisseram a graça a vós destinada;
por isso, sede vigilantes e ponde nela toda a vossa esperança»

O mistério da salvação, que os profetas tinham anunciado desde há muito, manifestou-se em Jesus Cristo e é-nos agora anunciado a nós pelos mensageiros do Evangelho, sob a ação do Espírito Santo, para que acreditemos e esperemos. Esta fé e esta esperança hão de acompanhar-nos todos os dias até à revelação última do Senhor. Entretanto, é o tempo de aprender a viver na santidade.

Leitura da Primeira Epístola de São Pedro
Caríssimos: A salvação das almas foi objeto das investigações e meditações dos Profetas que predisseram a graça a vós destinada. Procuravam descobrir a que tempo e circunstâncias se referia o Espírito de Cristo que estava neles, quando predizia os sofrimentos de Cristo e as glórias que se lhes haviam de seguir. Foi-lhes revelado que não era para eles, mas para vós, que no seu ministério transmitiam essa mensagem. É essa mensagem que agora vos anunciam aqueles que, movidos pelo Espírito Santo enviado do Céu, vos pregam o Evangelho, o qual os próprios Anjos desejam contemplar. Por isso, tende o vosso espírito alerta e sede vigilantes; ponde toda a vossa esperança na graça que vos será concedida, quando Jesus Cristo Se manifestar. Como filhos obedientes, não vos conformeis com os desejos de outrora, quando vivíeis na ignorância. Mas, à semelhança do Deus santo que vos chamou, sede santos, vós também, em todas as vossas ações, como está escrito: «Sede santos, porque Eu sou santo».
Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL Salmo 97 (98), 1.2-3ab.3cd-4 (R. 2a)
Refrão: O Senhor revelou a sua salvação. Repete-se

Cantai ao Senhor um cântico novo
pelas maravilhas que Ele operou.
A sua mão e o seu santo braço
Lhe deram a vitória. Refrão

O Senhor deu a conhecer a salvação,
revelou aos olhos das nações a sua justiça.
Recordou-Se da sua bondade e fidelidade
em favor da casa de Israel. Refrão

Os confins da terra puderam ver
a salvação do nosso Deus.
Aclamai o Senhor, terra inteira,
exultai de alegria e cantai. Refrão

ALELUIA cf. Mt 11, 25
Refrão: Aleluia Repete-se
Bendito sejais, ó Pai, Senhor do céu e da terra,
porque revelastes aos pequeninos
os mistérios do reino. Refrão

EVANGELHO Mc 10, 28-31
«Recebereis cem vezes mais, já neste mundo, juntamente com perseguições, e, no mundo futuro, a vida eterna»

Numa linguagem hiperbólica, isto é, aparentemente exagerada, se atendermos apenas às palavras em si mesmas, Jesus pretende fazer compreender a superioridade indiscutível do valor da vida de quem O seguir, em comparação com os valores deste mundo, em si mesmos considerados. A linguagem intencionalmente forte já por si manifesta como não é fácil de compreender o sentido da vida de quem mais de perto seguir o Senhor.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Naquele tempo, Pedro começou a dizer a Jesus: «Vê como nós deixámos tudo para Te seguir». Jesus respondeu: «Em verdade vos digo: Todo aquele que tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos ou terras, por minha causa e por causa do Evangelho, receberá cem vezes mais, já neste mundo, em casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e terras, juntamente com perseguições, e, no mundo futuro, a vida eterna. Muitos dos primeiros serão os últimos e muitos dos últimos serão os primeiros».
Palavra da salvação.

Oração sobre as oblatas
Senhor nosso Deus,
que nos concedeis estes dons que Vos oferecemos
e nos atribuís o mérito do oferecimento,
nós Vos suplicamos:
o que nos dais como fonte de mérito
nos obtenha o prémio da felicidade eterna.
Por Cristo nosso Senhor.

Antífona da comunhão Cf. Sl 12, 6
Cantarei ao Senhor pelo bem que me fez,
exaltarei o nome do Senhor, cantarei hinos ao Altíssimo.

Ou: Cf. Mt 28, 20
Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos, diz o Senhor.

Oração depois da comunhão
Senhor, que nos saciais com os vossos dons sagrados,
concedei-nos, por este sacramento,
com que nos alimentais na vida presente,
a comunhão convosco na vida eterna.
Por Cristo nosso Senhor.

05 06 Evangelho de João (Jo 15, 26 – 16, 4a)

No Evangelho de No Evangelho de João (Jo 15, 26 – 16, 4a), Jesus fala sobre a vinda do Espírito Santo, o Consolador, que dará testemunho dele. Ele instrui os discípulos a não se escandalizarem com as perseguições que enfrentarão por causa do Evangelho. Jesus fala sobre a vinda do Espírito Santo, o Consolador, que dará testemunho dele. Ele instrui os discípulos a não se escandalizarem com as perseguições que enfrentarão por causa do Evangelho.

04 02 Ser Testemunha

Que possamos, como Maria Madalena, encontrar a presença viva de Jesus em nossas vidas e sermos testemunhas credíveis do Seu amor e misericórdia.

.Que nous puissions, comme Marie Madeleine, trouver la présence vivante de Jésus dans nos vies et être des témoins crédibles de Son amour et de Sa miséricorde.

. May we, like Mary Magdalene, find the living presence of Jesus in our lives and be credible witnesses of His love and mercy.

04  03 Lc 24, 13-35 Quarta Os discípulos de Jesus

04  03 Lc 24, 13-35 Quarta Os discípulos de Jesus

Momento Catequético: Quarta-feira na Oitava da Páscoa , Lc 24, 13-35 -  Diocese de São Carlos

EVANGELHO Lc 24, 13-35

«Reconheceram-n’O ao partir o pão»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas

Dois dos discípulos de Jesus iam a caminho duma povoação chamada Emaús, que ficava a duas léguas de Jerusalém. Conversavam entre si sobre tudo o que tinha sucedido. Enquanto falavam e discutiam, Jesus aproximou-Se deles e pôs-Se com eles a caminho. Mas os seus olhos estavam impedidos de O reconhecerem. Ele perguntou-lhes: «Que palavras são essas que trocais entre vós pelo caminho?» Pararam, com ar muito triste, e um deles, chamado Cléofas, respondeu: «Tu és o único habitante de Jerusalém a ignorar o que lá se passou nestes dias». E Ele perguntou: «Que foi?» Responderam-Lhe: «O que se refere a Jesus de Nazaré, profeta poderoso em obras e palavras diante de Deus e de todo o povo; e como os príncipes dos sacerdotes e os nossos chefes O entregaram para ser condenado à morte e crucificado. Nós esperávamos que fosse Ele quem havia de libertar Israel. Mas, afinal, é já o terceiro dia depois que isto aconteceu. É verdade que algumas mulheres do nosso grupo nos sobressaltaram: foram de madrugada ao sepulcro, não encontraram o corpo de Jesus e vieram dizer que lhes tinham aparecido uns Anjos a anunciar que Ele estava vivo. Alguns dos nossos foram ao sepulcro e encontraram tudo como as mulheres tinham dito. Mas a Ele não O viram». Então Jesus disse-lhes: «Homens sem inteligência e lentos de espírito para acreditar em tudo o que os profetas anunciaram! Não tinha o Messias de sofrer tudo isso para entrar na sua glória?» Depois, começando por Moisés e passando pelos Profetas, explicou-lhes em todas as Escrituras o que Lhe dizia respeito. Ao chegarem perto da povoação para onde iam, Jesus fez menção de seguir para diante. Mas eles convenceram-n’O a ficar, dizendo: «Ficai connosco, porque o dia está a terminar e vem caindo a noite». Jesus entrou e ficou com eles. E quando Se pôs à mesa, tomou o pão, recitou a bênção, partiu-o e entregou-lho. Nesse momento abriram-se-lhes os olhos e reconhe¬¬ceram-n’O. Mas Ele desapareceu da sua presença. Disseram então um para o outro: «Não ardia cá dentro o nosso coração, quando Ele nos falava pelo caminho e nos explicava as Escrituras?» Partiram imediatamente de regresso a Jerusalém e encontraram reunidos os Onze e os que estavam com eles, que diziam: «Na verdade, o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão». E eles contaram o que tinha acontecido no caminho e como O tinham reconhecido ao partir o pão.

Palavra da salvação.

REFLEXÃO

Neste relato aparecem dois discípulos que no caminho de Jerusalém para Emaús descobrem lenta e progressivamente Jesus Ressuscitado que se revela através da Escritura, da Eucaristia e da Comunidade.

A leitura cristológica da Escritura foi o caminho iniciado por Jesus para os fazer crescer na Fé “E começando por Moisés e seguindo pelos profetas, explicou-lhes o que se referia a Ele em toda a Escritura”

Sentindo o coração a arder de alegria interior convidam o estranho a pernoitar com eles em Emaús. Aí Jesus dá-se a conhecer na fração do pão. E, sentado à mesa com eles, tomou o pão, abençoou-o, partiu-o e deu-lho. Abriram-se-lhes os olhos e reconheceram-no. Mas ele desapareceu”.

“Levantaram-se naquele momento e voltaram a Jerusalém, onde encontraram reunidos os onze e seus companheiros”. Mas tinham aprendido uma lição fundamental, extensiva a todos os cristãos: Cristo ressuscitado continua presente entre eles, no meio da comunidade, de uma maneira nova e certa, pela fé que nasce da sua palavra e do seu pão.

Reunidos à comunidade de Jerusalém celebram a alegria da descoberta partilhando a sua experiência pessoal do Senhor ressuscitado. O seu testemunho de fé faz eco na comunidade, que repete em coro: “É verdade, o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão. E eles contaram o que se tinha passado no caminho e como o tinham reconhecido no partir do pão”.

Esta encantadora narração reproduz a estrutura da celebração da Eucaristia: Jesus no meio dos seus; a palavra das Escrituras; Moisés (a Lei) e os Profetas ; a explicação (homilia) que desvenda o sentido das mesmas Escrituras; por fim, a “Fracção do pão”, a celebração da Eucaristia…

Assim como na narrativa de Emaús, a celebração da Eucaristia é uma oportunidade para Jesus se tornar presente no meio de seus discípulos. A palavra das Escrituras é proclamada e explicada, e a Fracção do pão é a oportunidade para os fiéis reconhecerem a presença real de Jesus na Eucaristia.. Da mesma forma que os discípulos de Emaús reconheceram Jesus durante a refeição, nós também podemos reconhecê-Lo na Eucaristia, onde Ele se faz presente de maneira real e substancial.

ORAÇÃO

Senhor, abri os olhos do espírito para que vos possamos procurar e reconhecer como Deus da nossa Vida. Obrigado, Senhor, porque nos permitis reconhecer-vos na vossa palavra, na Eucaristia e nos irmãos.

04 02 Jo 20, 11-18 Terça Maria Madalena foi anunciar que viu o Senhor

04 02 Jo 20, 11-18 Terça Maria Madalena foi anunciar que viu o Senhor

SHALOM !!!🙏🔥🌻QUEM COMO DEUS! NINGUÉM COMO DEUS! on X: "⏰1 MIN C/DEUS  ☁BOA TARDE ! FELIZ PÁSCOA 🐇!CRISTO RESSUSCITOU ALELUIA ALELUIA!!! Vms  JTOS✊LER E REFLETIR NO❤O Q JESUS DIZ HJ NO EVANGELHO📖Jo

EVANGELHO Jo 20, 11-18

«Vi o Senhor e disse-me…»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, Maria Madalena estava a chorar junto do sepulcro. Enquanto chorava, debruçou-se para dentro do sepulcro e viu dois Anjos vestidos de branco, sentados, um à cabeceira e outro aos pés, onde estivera deitado o corpo de Jesus. Os Anjos perguntaram a Maria: «Mulher, porque choras?» Ela respondeu- lhes: «Porque levaram o meu Senhor e não sei onde O puseram». Dito isto, voltou-se para trás e viu Jesus de pé, sem saber que era Ele. Disse-lhe Jesus: «Mulher, porque choras? A quem procuras?» Pensando que era o jardineiro, ela respondeu-Lhe: «Senhor, se foste tu que O levaste, diz-me onde O puseste, para eu O ir buscar». Disse-lhe Jesus: «Maria!» Ela voltou-se e respondeu em hebraico: «Rabuni!», que quer dizer: «Mestre!» Jesus disse-lhe: «Não Me detenhas, porque ainda não subi para o Pai. Vai ter com os meus irmãos e diz-lhes que vou subir para o meu Pai e vosso Pai, para o meu Deus e vosso Deus». Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: «Vi o Senhor». E contou-lhes o que Ele lhe tinha dito.

Palavra da salvação. 

Reflexão sobre o Encontro de Maria Madalena com Jesus Ressuscitado

O Evangelho de João relata o comovente encontro de Maria Madalena com Jesus após a ressurreição. Ao chegar ao sepulcro e encontrar a pedra removida, Maria é tomada pela aflição, mas é surpreendida pela presença de dois anjos que a questionam: “Porque choras?”.

Nesse momento de desespero, Maria se depara com Jesus, mas sem reconhecê-lo, pensando ser o jardineiro. Jesus a interpela, perguntando: “Quem procuras?”. Somente quando Jesus a chama pelo nome, Maria o reconhece e exclama: “Mestre!”.

Este encontro íntimo entre Maria e Jesus ressuscitado ilustra a profundidade do amor de Deus e Sua capacidade de nos reconhecer individualmente. Assim como Maria, muitas vezes buscamos a presença de Jesus em nossas vidas, mas nem sempre O reconhecemos de imediato.

Ao ouvir seu nome pronunciado pela voz divina, Maria encontra paz e alegria. Da mesma forma, quando nos voltamos para Jesus e reconhecemos Sua presença em nossas vidas, somos preenchidos com uma alegria indescritível.

Além disso, o encontro de Maria com Jesus ressuscitado não é apenas uma experiência pessoal, mas uma missão a ser compartilhada. Maria corre para anunciar aos discípulos: “Vi o Senhor!”. Da mesma forma, somos chamados a testemunhar o amor de Cristo aos outros, espalhando a boa notícia da ressurreição.

Que possamos, como Maria Madalena, encontrar a presença viva de Jesus em nossas vidas e sermos testemunhas credíveis do Seu amor e misericórdia.

Oração

Senhor Jesus, que em Sua ressurreição revelou Seu amor e poder sobre a morte, conceda-nos a graça de reconhecê-Lo em nossas vidas e testemunhar Sua presença aos outros. Capacite-nos a proclamar com alegria: “Vi o Senhor!”, e a compartilhar Sua mensagem de salvação com o mundo. Amém.

04  01 Mt 28, 8-15 Segunda Aparição às Santas Mulheres

04  01 Mt 28, 8-15 Segunda Aparição às Santas Mulheres
«Ide avisar os meus irmãos que devem ir para a Galileia» Mt 28, 8-15 

. Matriz de São Francisco de Assis - Evangelho (Mt 28,8-15) — O Senhor esteja  convosco. — Ele está no meio de nós. — PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus  Cristo + segundo Mateus. —

EVANGELHO

Naquele tempo, Elas afastaram-se prontamente do túmulo com certo receio, mas ao mesmo tempo com alegria, e correram a dar a boa nova aos discípulos. Nesse momento, Jesus apresentou-se diante delas e disse-lhes: Salve! Aproximaram-se elas e, prostradas diante dele, beijaram-lhe os pés. Disse-lhes Jesus: Não temais! Ide dizer aos meus irmãos que se dirijam à Galiléia, pois é lá que eles me verão. Enquanto elas voltavam, alguns homens da guarda já estavam na cidade para anunciar o acontecimento aos príncipes dos sacerdotes. Reuniram-se estes em conselho com os anciãos. Deram aos soldados uma importante soma de dinheiro, ordenando-lhes: Vós direis que seus discípulos vieram retirá-lo à noite, enquanto dormíeis. Se o governador vier a sabê-lo, nós o acalmaremos e vos tiraremos de dificuldades. Os soldados receberam o dinheiro e seguiram suas instruções. E esta versão é ainda hoje espalhada entre os judeus.

.

REFLEXÃO 

O relato da ressurreição de Jesus nos evangelhos é um momento de profunda transformação e esperança para os seguidores de Cristo. No entanto, também revela as reações diversas diante do evento e os esforços para negar sua veracidade.

As mulheres, Maria de Magdala e a outra Maria, são as primeiras testemunhas do túmulo vazio. Recebem do anjo a mensagem de que Jesus ressuscitou e são instruídas a comunicar aos discípulos a boa nova. Este encontro com o anjo marca o início de uma nova relação entre Deus e a humanidade, inaugurada pela ressurreição de Jesus.

Por outro lado, os líderes religiosos, confrontados com o túmulo vazio, tentam desmentir o ocorrido. Oferecem aos soldados uma soma em dinheiro para propagarem a mentira de que os discípulos haviam roubado o corpo de Jesus. Esta tentativa de negação revela o conflito entre a verdade da ressurreição e os interesses políticos e religiosos da época.

O verdadeiro sinal da ressurreição não está apenas na ausência do corpo de Jesus no túmulo, mas na transformação interior dos discípulos. De tristes e temerosos, eles se tornam cheios de alegria e vivem a notícia da ressurreição de forma íntima e profunda. Esta experiência  condu-los  a uma comunhão de vida com Deus e a uma nova fraternidade na Igreja, testemunhando ao mundo a presença viva de Cristo.

A ressurreição de Jesus Cristo não é apenas um evento histórico, mas o ponto central da fé cristã. É a garantia da vida eterna e a base de nossa esperança. Sem ela, nossa fé seria vazia. Portanto, celebremos com alegria a ressurreição de Cristo, renovando nossa fé e nosso compromisso com Ele.

Oração

Ó Deus, Pai de bondade, concedei-nos a graça de vivermos sempre na luz da ressurreição de Jesus Cristo. Que possamos testemunhar ao mundo a esperança e a alegria que encontramos em sua vitória sobre a morte. Fortalecei nossa fé e nossa comunhão com Cristo, para que possamos viver de acordo com o Evangelho. Amém.