Monthly Archives: May 2022

05 30 Jo 16, 29-33 Segunda feira da semana VII

05 30 Jo 16, 29-33 Segunda feira da semana VII

 

LEITURA I Actos 19, 1-8
«Recebestes o Espírito Santo, quando abraçastes a fé?»

Os futuros cristãos de Éfeso eram ainda, nesta altura, apenas discípulos de João Baptista, que tinham recebido somente o baptismo do Precursor. Ora o baptismo de João era um rito ascético, que convidava à penitência, ao passo que o baptismo cristão é sinal da vida nova dada por Jesus Cristo. É um dom, comunica o Espírito Santo; supõe a conversão por parte de quem o recebe; mas é dom gratuito, fruto do sacrifício pascal do Senhor. Os discípulos de Éfeso ainda não tinham chegado até aqui.

Leitura dos Actos dos Apóstolos
Enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo atravessou a região alta e chegou a Éfeso. Encontrou lá alguns discípulos e perguntou-lhes: «Recebestes o Espírito Santo, quando abraçastes a fé?». Eles responderam-lhe: «Nem sequer ouvimos falar do Espírito Santo». Paulo perguntou: «Então, que baptismo recebestes?». Eles responderam: «O baptismo de João». Disse-lhes Paulo: «João administrou um baptismo de penitência, dizendo ao povo que acreditasse n’Aquele que ia chegar depois dele, isto é, em Jesus». Depois de ouvirem estas palavras, receberam o Baptismo em nome do Senhor Jesus. Quando Paulo lhes impôs as mãos, o Espírito Santo desceu sobre eles e começaram a falar línguas e a profetizar. Eram ao todo uns doze homens. Paulo foi em seguida à sinagoga, onde falou com firmeza durante três meses, argumentando de modo convincente sobre o reino de Deus.
Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL Sal. 67 (68), 2-3.4-5ac.6-7ab (R. 33a ou Aleluia)
Refrão: Povos da terra, cantai ao Senhor. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se

Levanta-Se Deus, dispersam-se os inimigos
e fogem diante deles os que O odeiam.
Como se desfaz o fumo, assim eles se dissipam,
assim perecem os ímpios à vista de Deus. Refrão

Os justos exultam na presença de Deus,
exultam e transbordam de alegria.
Cantai a Deus, entoai um cântico ao seu nome;
o seu nome é Senhor: exultai na sua presença. Refrão

Pai dos órfãos e defensor das viúvas
é Deus na sua morada santa.
Aos abandonados Deus prepara uma casa,
conduz os cativos à liberdade. Refrão

ALELUIA Col 3, 1
Refrão: Aleluia Repete-se

Se ressuscitastes com Cristo, aspirai às coisas do alto,
onde Cristo está sentado à direita de Deus. Refrão

Jo 16,29-33- Coragem, eu venci o mundo - Pe. Lucas EVANGELHO E HOMILIA DO DIA - O AMANHECER DO EVANGELHO - REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM - Padre Lucas Peregrinações
EVANGELHO Jo 16, 29-33
«Tende confiança: Eu venci o mundo»

Jesus anuncia aos discípulos que, enquanto estiveram no mundo, sentirão, como Ele sentiu, as dificuldades, angústias e até a perseguição inerentes a esta vida, mas pela força do Espírito de Jesus ressuscitado eles vencerão o mundo, como Ele o venceu. É precisamente o momento em que os discípulos fazem um acto de fé e de confiança maior no Mestre, é precisamente esse que Ele escolhe para lhes anunciar maiores provações e lhes pedir maior confiança para as tribulações que os esperam. A confiança no Senhor não pode ter limites!

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, disseram os discípulos a Jesus: «De facto agora falas abertamente, sem enigmas. Agora vemos que sabes tudo e não precisas que ninguém Te faça perguntas. Por isso acreditamos que saíste de Deus». Respondeu-lhes Jesus: «Agora acreditais? Vai chegar a hora – e já chegou – em que sereis dispersos, cada um para seu lado, e Me deixareis só; mas Eu não estou só, porque o Pai está comigo. Digo-vos isto, para que em Mim tenhais a paz. No mundo sofrereis tribulações. Mas tende confiança: Eu venci o mundo».
Palavra da salvação.

EVANGELHO Jo 16, 29-33

«Tende confiança: Eu venci o mundo»

 Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

 Naquele tempo, disseram os discípulos a Jesus: «De facto agora falas abertamente, sem enigmas. Agora vemos que sabes tudo e não precisas que ninguém Te faça perguntas. Por isso acreditamos que saíste de Deus». Respondeu-lhes Jesus: «Agora acreditais? Vai chegar a hora – e já chegou – em que sereis dispersos, cada um para seu lado, e Me deixareis só; mas Eu não estou só, porque o Pai está comigo. Digo-vos isto, para que em Mim tenhais a paz. No mundo sofrereis tribulações. Mas tende confiança: Eu venci o mundo».

Palavra da salvação.

 

 

REFLEXÃO

 Senhor, no decorrer da sua Vida foi-se revelando aos discípulos que acreditaram nEle “Nós cremos que o Senhor veio de Deus”.

 

Eles achavam que já estavam bem firmes na fé. No entanto, Jesus disse-lhes: “Credes agora?” Estás certos? “eis que vem a hora em que vos dispersareis, cada um para seu lado, e me deixareis sós”. E foi o que aconteceu quando o abandonaram dominados s pelo medo, do sofrimento, da morte.

 Jesus , porém, não se sentiu abandonado. Teve sempre o Pai a seu lado.

 E nós que faríamos em circunstâncias? Sem o Espírito Santo nós faríamos o mesmo: O medo impedir-nos-ia de enfrentarmos os desafios, as provas, os testes. Com o Espírito Santo não nos devemos sentir abandonados, aconteça o que quer na nossa vida, seja: perseguição, tribulação, medo, morte, sofrimento, doença, desemprego, vício do álcool e das drogas etc.

Nada pode separar o nosso amor de Deus, jamais estamos só, Jesus está connosco, ao nosso lado para nos proteger, aqueles que nele confiam, terá toda força necessária, porque Deus é bondade e paz.

A fé em Jesus leva-nos à vitória. Mesmo meio das perseguições que o mundo, move contra nós; tenhamos confiança. Ele venceu o mundo. E com Cristo cada um de nós pode afirmar. Custe o que custar, havemos de vencer!

Assim seja amém!!!

Recordemos o que nos diz S. Paulo “Se com Cristo ressuscitaste procurai o que é do Alto, onde Cristo está sentado, à direita de Deus Pai”(Cl 3)

 

Oração

 

Envia-nos , Senhor, o vosso Espírito que renova os nossos corações. Envia-nos, Senhor, a vossa luz e o vosso calor, que ilumina os nossos passos, que inflame o nosso amor. Envia-nos, Senhor, a vossa força e a vossa coragem, que nos livre dos nossos medos, que anime o nosso ardor.

 

05 20 de omni re scibili (et quibusdam aliis)”

Peregrino do Transcendente

23 de Maio   Segunda Feira da Semana VI

24 de Maio   Terça Feira da Semana VI 

05 25 jo 16, 12-15 Quarta Feira da Semana VI

05 26 jo 16, 16-20 Quinta feira da Semana VI –

05 27 jo 16, 20-23 Sexta feira da Semana VI 

05 28 jo 16, 23-28 Sábado da Semana VI 

 05 29 Lc 24, 46-53 Domingo da Ascensão

****************************************************************************************************************************************************

05 30 Segunda

05 31 Terça

06 01  Quarta

06 02 Quinta

06 03 Sexta

06 04 Sábado

06 05  Domingo

 

 

 

 

  1. Gravação 26de Maio

 

 

  1. https://youtu.be/7ncBoZB8WUM 2º feira
  2. Gravação 23 de Maio https://youtu.be/7ncBoZB8WUM
    05 23 jo 15, 26 – 16,4A Segunda Feira da Semana VIGravação 24 de Maio
  3.  
  4. https://youtu.be/ItJhyEhTdJc
  5. 05 24 jo 16, 5-11 tERÇA Feira da Semana VI
    Gravação 25 de Maio https://youtu.be/kAdgjTZ4IeM
    05 25 jo 16, 12-15 Quarta Feira da Semana VI
  6. Gravação 26de Maio https://youtu.be/LGek4ihYpns
    05 26 jo 16, 16-20 Quinta feira da Semana VI –
  7.  
  8.  
  9.  
  10. Gravação 27de Maio https://youtu.be/D1MCHMMNK5s
    05 27 jo 16, 20-23 Sexta feira da Semana VI –

 

  1. Gravação 28de Maio https://youtu.be/IQX7xyp_5XU
    05 28 jo 16, 23-28 Sábado da Semana VI
    Gravação 29 de Maio

    05 29 Lc 24, 46-53 Domingo da Ascensão

 

 

 

 

 

05 18 Quarta Feira – Sem mim nada podeis fazer

“Sem Mim – diz Jesus no Evangelho – nada podeis fazer”.

Jesus é a Videira, nós somos os ramos. Se queremos produzir frutos, é necessário, absolutamente necessário, estar unidos a Jesus. É uma questão de vida ou de morte. A vida de Jesus deve penetrar na nossa vida, como a seiva da Videira deve penetrar nos ramos.

Estamos a falar do ADN de todo o apostolado e de toda a vida cristã.

Sem a seiva da Videira, nenhuma “agitação apostólica” produz frutos.

É que o apostolado não é propaganda, não pertence ao mundo do ativismo estéril. O apostolado pertence ao mundo da fecundidade do Amor…

“Sem Mim, nada podeis fazer…”

Jesus diz: “Nada…”

Antes de falarmos de Deus, é necessário falar com Deus.

O apostolado mais eficaz começa de joelhos, diante do sacrário.

O melhor púlpito é o genuflexório.

O tempo mais “útil” é o que “perdemos” com Deus.

O primeiro momento da ação não é ação, é oração

O apostolado não é a agitação do “fazer”. É o testemunho do “ser”.

Jesus é a Videira. Nós somos os ramos. Sem a seiva desta Videira não há frutos.

Andamos a perder tempo…

E a nossa vida esvai-se num emaranhado de aparências e ilusões…

“Quem reza não desperdiça o tempo, mesmo quando a situação apresenta todas as características de uma emergência e parece impelir unicamente para a ação (Bento XVI, Deus é Amor, nº 36).

 

Padre Rogério Almeida

 

05 18 Quarta Feira da semana V

PALAVRA

       LEITURA I Actos 15, 1-6 «Decidiram que fossem tratar esta questão com os Apóstolos e os anciãos» Falando é que a gente se entende. Os cristãos da Igreja primitiva sentiram inicialmente dificuldades em entender a novidade do Cristianismo e a sua superioridade em relação . O Concílio de Jerusalém marcou a  unidade Igreja  sendo fiel ligada ao Mestre

Jo 15, 1-8 «Quem permanece em Mim e Eu nele dá fruto abundante» A O novo povo  de Deus – as varas da videira-O povo de Deus alimentado pela  seiva do Espírito Santo  gerando a alegria da celebração eucarística e canta o salmo 121 SALMO RESPONSORIAL Salmo 121 (122), 1-2.3-4a.4b-5 (R. cf. 1): Vamos com alegria para a casa do Senhor. Repete-se

CONCLUSÃO

O verdadeiro discípulo de Jesus dá fruto de boas obras , se permanecer unido a Ele Está preparado para arriscar tudo . Nele seremos salvos

Links : https://www.liturgia.pt/liturgiadiaria/dia.php?data=2022-5-18

 

 

05 08 Jo 10, 27-30    Domingo IV da Páscoa

EVANGELHO Jo 10, 27-30

«Eu dou a vida eterna às minhas ovelhas»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, disse Jesus: «As minhas ovelhas escutam a minha voz. Eu conheço as minhas ovelhas e elas seguem-Me. Eu dou-lhes a vida eterna e nunca hão-de perecer e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que Mas deu, é maior do que todos e ninguém pode arrebatar nada da mão do Pai. Eu e o Pai somos um só».

Reflexão

Ele Cristo autodefine-se como o bom pastor, o único e autêntico pastor para um só rebanho pois está disposto a dar a vida pelas suas ovelhas no momento do perigo. “O bom pastor dá a vida pelas ovelhas. Mas o mercenário, que não é pastor nem dono das ovelhas, quando vê vir o lobo abandona as ovelhas e foge; e o lobo faz estrago e dispersa-as. É que ao mercenário não lhe importam as ovelhas.

Ele diferencia-se do pastor mercenário porque conhece as suas ovelhas e é conhecido por elas. “Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas e as minhas ovelhas conhecem-me, tal como o Pai me conhece e eu conheço o Pai”. “Eu dou a minha vida pelas ovelhas…

Pertencemos a Cristo, somos ovelhas do seu rebanho, porque escutamos a sua voz. O Cristo ressuscitado da nossa fé, é o nosso pastor que nos conhece pessoalmente pelo nosso nome e nos abre a porta que conduz à vida. A grande oração do crente, o fundamento da sua esperança, a utopia e o projecto cristão que movem a história é o “venha a nós o teu Reino”, combinando em exacto equilíbrio a actividade com a paciente espera.

Se quiser seguir Cristo Pastor disponho-me a escutar a sua Palavra e confiar nela Ele caminha junto a mim em e para a liberdade e convida-me  a romper com o individualismo que me escraviza. Ele  chama-me para a atuação em comunidade, estabelecendo relações de familiaridade, solidariedade e serviço.

Oração
O Senhor é meu pastor, O Senhor é meu pastor, nada me falta; em verdes prados me faz repousar; conduz-me às fontes tranquilas e restaura as minhas forças; guia-me pelo caminho justo, pela honra do seu nome.

Embora caminhe por vales escuros, nada temo porque vais comigo: o teu bastão e o teu cajado me sossegam. Preparas uma mesa diante de mim, em frente dos meus inimigos; unges-me a cabeça com perfume, e a minha taça trasborda.

05 07 Jo 6, 60-69   Sábado da   Semana III

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João:

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, muitos discípulos, ao ouvirem Jesus, disseram: «Estas palavras são duras. Quem pode escutá-las?». Jesus, conhecendo interiormente que os discípulos murmuravam por causa disso, perguntou-lhes: «Isto escandaliza-vos? E se virdes o Filho do homem subir para onde estava anteriormente? O espírito é que dá vida, a carne não serve de nada. As palavras que Eu vos disse são espírito e vida. Mas, entre vós, há alguns que não acreditam». Na verdade, Jesus bem sabia, desde o início, quais eram os que não acreditavam e quem era aquele que O havia de entregar. E acrescentou: «Por isso é que vos disse: Ninguém pode vir a Mim, se não lhe for concedido por meu Pai». A partir de então, muitos dos discípulos afastaram-se e já não andavam com Ele. Jesus disse aos Doze: «Também vós quereis ir embora?» Respondeu-Lhe Simão Pedro: «Para quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. Nós acreditamos e sabemos que Tu és o Santo de Deus».

Reflexão

Esta palavra é dura. Quem consegue escutá-la?”(Jo 6,60) Apesar dos Judeus se escandalizarem com Jesus Ele prossegue o seu discurso e convida-nos a comer a sua carne e a beber o seu sangue. Jesus tinha feito um discurso a respeito do pão da vida até chegar à afirmação fundamental no versículo 51 cap.6 “O pão que eu darei é a minha carne para a vida do mundo”.

Aqui está o coração da Vida da Igreja. Eu vivo para tornar presente o mistério da morte e da ressurreição de Jesus comungar o corpo e o sangue do Senhor, ouvir a Palavra do Senhor.

Muitos assustaram-se e deixaram Jesus. Estabelece-se uma espécie de crise no meio dos discípulos de Jesus. Podemos até afirmar que este Evangelho é uma viragem  de página do correr de todo o Evangelho de S. João.

Jesus pergunta “Vós também vos quereis ir embora?” responde S. Pedro. “A quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna.”

Pedro tinha entendido que as palavras do seu Mestre eram diferentes das palavras dos outros mestres. As palavras que vão da terra para a terra pertencem à terra e têm o destino da terra. As palavras de Jesus são espírito e vida porque vêm do Céu São “palavras de vida eterna” (Jo 6,68) porque contêm, expressam e transmitem a plenitude daquela vida que não tem fim, porque é a própria vida de Deus.

Jesus ressuscitou e vive. E as suas palavras que Ele dirigidas hoje a todos nós e a cada pessoa de todos os tempos e de todas as culturas.

Se todos os dias nos debruçarmos por ouvir a Palavra a fim de praticá-la nos esforçamos por praticá-la acreditamos que só nelas existe a vida eterna. Queremos buscá-las com toda a força da nossa vida e praticá-la.

Oração

Louvamos-te, Pai, porque nos convidas a sentar-nos à mesa em que o vosso Filho, Cristo Jesus, multiplica o seu pão para os famintos do mundo. Faz que sejamos generosos em servir os mais pobres e estejamos dispostos a partilhar tudo o que temos com os nossos irmão mais necessitados

05 06 Jo 6, 52-59   Sexta  Feira da Semana III

EVANGELHO Jo 6, 52-59 «A minha carne é verdadeira comida e o meu sangue é verdadeira bebida»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, os judeus discutiam entre si: «Como pode Jesus dar-nos a sua carne a comer?». Então Jesus disse-lhes: «Em verdade, em verdade vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e Eu o ressuscitarei no último dia. A minha carne é verdadeira comida e o meu sangue é verdadeira bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em Mim e Eu nele. Assim como o Pai, que vive, Me enviou e Eu vivo pelo Pai, também aquele que Me come viverá por Mim. Este é o pão que desceu do Céu; não é como o dos vossos pais, que o comeram e morreram: quem comer deste pão viverá eternamente». Assim falou Jesus, ao ensinar numa sinagoga, em Cafarnaum.

 

 

REFLEXÃO

 

Encontramos nesta passagem três afirmações capitais como são: que se deve comer a carne do Filho do homem e beber o seu sangue, que se não se comunga não se pode ter vida; e que esta vida é a vida eterna e é a condição para a ressurreição (cf. Jo 6,53.58)

“Como é que ele pode dar a sua carne a comer?”(Jo 6,52)

 

Os Judeus não entenderam a dimensão espiritual das palavras de Jesus pois os seus olhos estavam fechados e os corações endurecidos. Precisamos de entender o filamento de amor do grande Deus que se torna homem para se fazer pequeno num pedaço de pão e nos ajudar a vencer as dificuldades da Vida.

Em cada celebração Eucarística comungamos o corpo sangue alma e divindade Ele vem de encontro à nossa história às nossas fraquezas Abramos os olhos da Fé ao receber este maná celestial para entender que Jesus nos ama e que na meditação desta palavra se encontre a força para nossa vida e Deus não nos deixa faltar nada principalmente o amor que nos une e que nos leva a salvação.

 

“Testamento do amor de Cristo para a realização da caridade fraterna” O pão que partimos não é a comunhão do corpo de Cristo? Uma vez que há um só pão, nós, embora sendo muitos, formamos um só corpo, porque todos participamos do mesmo pão” ( 1 Cor 10, 16-17).

 

Ao receber a Jesus na Eucaristia comprometo-me a aderir à sua mensagem. Este compromisso diviniza-me, liberta-me do meu egoísmo e torna-me capaz de, à semelhança  de Cristo, dar-me aos meus irmãos.

 

ORAÇÃO

 

Cristo, dá-nos fome do pão da vida que sois vós e saciai-nos abundantemente com o vosso corpo e sangue imolados, que dão vida eterna e comunhão contigo e com os irmãos.

Fazei que sejamos generosos em servir os mais pobres e estejamos dispostos a partilhar tudo o que temos com os nossos irmão  mais necessitados, como vós fizeste.

 

 

 

 

 

05 05 Jo 6, 44-51    Quinta Feira


Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 6, 44-51

Leitura do Evangelho de S. João

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: «Ninguém pode vir a Mim, se o Pai, que Me enviou, não o trouxer; e Eu ressuscitá-lo-ei no último dia. Está escrito no livro dos Profetas: ‘Serão todos instruídos por Deus’. Todo aquele que ouve o Pai e recebe o seu ensino vem a Mim. Não porque alguém tenha visto o Pai; só Aquele que vem de junto de Deus viu o Pai. Em verdade, em verdade vos digo: Quem acredita tem a vida eterna. Eu sou o pão da vida. No deserto, os vossos pais comeram o maná e morreram. Mas este pão é o que desce do Céu, para que não morra quem dele comer. Eu sou o pão vivo que desceu do Céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que Eu hei-de dar é a minha carne que Eu darei pela vida do mundo».

Palavra da salvação.

Reflexão

  1. João tem uma maneira muito especial de nos apresentar o Evangelho. Aqui remete-nos ao movimento de amor e comunhão entre o Pai e o Filho. ”Só Aquele que vem de junto de Deus viu o Pai.” Cristo é o pão vivo que desceu do Céu para matar com a sua própria carne a fome de amor da humanidade.

No caminho para a terra dos seus antepassados, o povo de Israel passou anos no deserto. Reconheceu o seu poder e carinho ao ser alimentado pelo Maná .

Hoje, é Jesus quem nos alimenta na nossa peregrinação para a Casa do Pai. Ele é o nosso alimento, de modo particular na Eucaristia. Procuremos alimentar-nos sempre deste pão que é dado para que o mundo tenha vida e vida em abundância. (Jo 10,10)

Esta vida parte do Pai. É n’Ele que tudo tem início. O Pai conduz-nos ao Filho e este conduz-nos ao Pai O nosso caminhar na vida é ir ao encontro de Deus na fé.

Nos nossos dias alimentar-se de Jesus é ter vida é contemplá-lo e seguir seus passos. No serviço, na fraternidade e na solidariedade social, na busca da justiça e da paz, entra-se em comunhão de vida eterna com Jesus.

Deixemo-nos tocar pelo convite de Jesus. Participemos plena, consciente e ativamente na Eucaristia. Cristo torna-se verdadeiramente presente em nós e no meio de nós, quando O acolhemos na fé e no amor.

 

 

 

 

 

 

Oração

Louvamos-te, Pai, porque a Eucaristia preanuncia o encontro definitivo na mesa do vosso Reino, porque o vosso Espírito dá vida nova aos nossos corações, e porque a palavra de Cristo nos impele a comungar o seu corpo e o seu sangue, garantia segura de vida eterna.

 

 

 

05 04   J0 6, 35-40   Quarta   Feira da Semana III

EVANGELHO Jo 6, 35-40
«A vontade d’Aquele que Me enviou é esta: que Eu não perca nenhum dos que Ele Me deu»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: «Eu sou o pão da vida: Quem vem a Mim nunca mais terá fome e quem acredita em Mim nunca mais terá sede. No entanto, como vos disse, ‘embora tivésseis visto, não acreditais’. Todos aqueles que o Pai Me dá virão a Mim e àqueles que vêm a Mim não os rejeitarei, porque desci do Céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade d’Aquele que Me enviou. E a vontade d’Aquele que Me enviou é esta: que Eu não perca nenhum dos que Ele Me deu, mas os ressuscite no último dia. De facto, é esta a vontade de meu Pai: que todo aquele que vê o Filho e acredita n’Ele tenha a vida eterna; e Eu o ressuscitarei no último dia».

Reflexão

Jesus diz-nos hoje Eu sou o pão da vida (Jo 6,36) Jesus Cristo é mesmo o pão da vida para cada um de nós atribulados, e cheios de problemas neste vale de lágrimas…Deus quer oferecer aos homens, em todos os momentos da sua caminhada pela terra, o “pão” da vida plena e definitiva. Naturalmente, os homens têm de fazer a sua escolha e de acolher esse dom.

Ele reafirma que o objetivo final da sua missão é dar aos homens o “pão da vida”. Para receber essa vida, os discípulos são convidados a “comer a carne” e a “beber o sangue” de Jesus – isto é, a aderir à sua pessoa, a assimilar o seu projecto, a interiorizar a sua proposta.

A Eucaristia cristã (o “comer a carne” e “beber o sangue” de Jesus) é um momento privilegiado de encontro com essa vida que Jesus veio oferecer. Deus que não quer a morte do pecador mas que se converta e viva, enviou o seu Filho ao mundo não para condenar o homem, mas para o salvar. “Deus quer que todos os homens se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade” (lTm 2,4).

Façamos da Palavra de Deus da Eucaristia a fonte de alimento para a nossa alma. Assim como nos alimentamos materialmente todos os dias devíamos alimentar-nos da Palavra para saciar a fome do alimento para a nossa alma e ter forças para enfrentarmos as dificuldades da nossa vida

 

 Oração

Bendizemos-te, Deus Pai, porque quereis que todos os homens se salvem pelo conhecimento do vosso nome.

Abre os nossos corações, Senhor, e ilumina as nossas mentes para entendermos o segredo e a riqueza da vossa presença na Palavra e no Pão Eucarísticos.

 

05 03 J0 14, 06-14 Terça  Feira da Semana III


Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João:
S. Filipe e S. Tiago Apóstolos

EVANGELHO Jo 14, 6-14

«Há tanto tempo estou convosco e não Me conheces?»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo,disse Jesus aos seus discípulos:«Eu sou o caminho, a verdade e a vida:

ninguém vai ao Pai senão por Mim.Se Me conhecêsseis, conheceríeis também o meu Pai.

Mas desde agora já O conheceis e já O vistes».Disse-Lhe Filipe:

«Senhor, mostra-nos o Pai e isto nos basta».Respondeu-lhe Jesus:

«Há tanto tempo estou convosco e não Me conheces, Filipe?

Quem Me vê, vê o Pai. Como podes tu dizer: ‘Mostra-nos o Pai’?

Não acreditas que Eu estou no Pai  e o Pai está em Mim?

As palavras que vos digo,não as digo por Mim próprio,

mas é o Pai, permanecendo em Mim, que faz as obras.

Acreditai-Me: Eu estou no Pai e o Pai está em Mim.

Acreditai ao menos pelas minhas obras.

Em verdade, em verdade vos digo:

Quem acredita em Mim

fará também as obras que Eu faço

e fará obras ainda maiores,

porque Eu vou para o Pai.

E tudo quanto pedirdes em meu nome, Eu o farei,

para que o Pai seja glorificado no Filho.

Se pedirdes alguma coisa em meu nome, Eu a farei».

Palavra da salvação

REFLEXÃO

A Igreja celebra  hoje a festa de S. Filipe e S. Tiago. Filipe, nascido em Betsaida, foi discípulo de João Baptista e depois seguiu a Cristo.Tiago, primo do Senhor, filho de Alfeu, foi bispo de Jerusalém; escreveu uma epístola; levou uma vida de grande mortificação e converteu à fé muitos judeus. Recebeu a coroa do martírio no ano 62

.O texto evangélico de hoje relata o diálogo de Jesus com Filipe sobre a casa do Pai e o lugar que ele lhes vai preparar. Jesus afirma a sua identidade “eu sou” ligada ao Pai e faz um convite “Acreditai-me”, promete em contrapartida a realização de grandes obras e a satisfação de seus pedidos ao Pai.

Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém pode chegar ao Pai sem Jesus, pois ele é verdadeiramente o único caminho que nos leva ao Pai. Ninguém pode de fato conhecer o Pai se não for através de Jesus, pois ele é a Verdade Ele vive em perfeita comunhão com o Pai. Quem conhece Jesus, conhece o Pai e quem conhece o Pai, conhece Jesus.

Somos convidados pela Palavra a acreditar sem ver, na presença do Pai em Jesus e aceitá-lo como caminho. Torna-se muito difícil ver em Jesus, na sua palavra, nas suas propostas o caminho, a verdade e a vida. Vivemos num mundo de propostas bem mais aliciantes

Peçamos ao Senhor a graça da fé no oculto do mistério de Cristo e a realização dos anseios mais profundos; ver nEle o nosso caminho para o Pai.

Quando tudo parecer difícil rezemos. Quando tudo estiver desmoronando, conversemos com o Senhor. Quando tudo estiver bem, rezemos e agradeçamos a Deus pelo que estamos vivendo. Só Ele tem a fórmula certa para nos consolar e nos amparar, mostrando sempre a direção certa.

Oração

Pai Santo, Vós que enviaste o Vosso Filho ao Mundo para nos indicar o caminho para Vós tornai-nos dóceis à Sua Palavra para que que guiados pelo Vosso Espírito vos sirvamos em todos os irmãos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

https://sagradaliturgia.com.br/index.php?date=2022-04-29

https://sagradaliturgia.com.br/index.php?date=2022-05-02

https://sagradaliturgia.com.br/index.php?date=2022-05-06

https://sagradaliturgia.com.br/index.php?date=2022-05-08

https://sagradaliturgia.com.br/index.php?date=2022-04-29

 

 

 

 

Jo 6, 52-59

 

 

 

 

05 02 J0 6, 22-29    Segunda Feira da Semana III

Jo 6, 22-29
«Trabalhai, não tanto pela comida que se perde, mas pelo alimento que dura até à vida eterna»

EVANGELHO Jo 6, 22-29

«Trabalhai, não tanto pela comida que se perde, mas pelo alimento que dura até à vida eterna»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Depois de Jesus ter saciado os cinco mil homens, os seus discípulos viram-n’O a caminhar sobre as águas. No dia seguinte, a multidão que permanecera no outro lado do mar notou que ali só estivera um barco e que Jesus não tinha embarcado com os discípulos; estes tinham partido sozinhos. Entretanto, chegaram outros barcos de Tiberíades, perto do lugar onde eles tinham comido o pão, depois de o Senhor ter dado graças. Quando a multidão viu que nem Jesus nem os seus discípulos estavam ali, subiram todos para os barcos e foram para Cafarnaum, à procura de Jesus. Ao encontrá-lo no outro lado do mar, disseram-Lhe: «Mestre, quando chegaste aqui?» Jesus respondeu-lhes: «Em verdade, em verdade vos digo: vós procurais-Me, não porque vistes milagres, mas porque comestes dos pães e ficastes saciados. Trabalhai, não tanto pela comida que se perde, mas pelo alimento que dura até à vida eterna e que o Filho do homem vos dará. A Ele é que o Pai, o próprio Deus, marcou com o seu selo». Disseram-Lhe então: «Que devemos nós fazer para praticar as obras de Deus?» Respondeu-lhes Jesus: «A obra de Deus consiste em acreditar n’Aquele que Ele enviou».

Palavra da salvação.

REFLEXÃO

Peçamos ao Espírito Santo ilumine a nossa mente e o nosso coração a fim de compreendermos a verdade da Palavra que acabámos de ler. Quantas vezes procuramos o Deus da Verdade com a falsidade no nosso coração. Nós somos hipócritas com Deus porque buscamos a Deus por interesses pessoais como diz aqui a Palavra.

Procurais-me não porque vistes sinais, mas porque comestes pão e ficastes satisfeitos (26) Procurais-me não porque acreditais que eu sou Deus, eu sou o Messias sou o enviado da parte do Pai.

Quantas pessoas estão buscando a Deus hoje que têm uma enfermidade e quando são curados não voltam a agradecer como o Senhor explicou em Lc 17,11-19; Não foram dez os limpos? E onde estão os nove?(Lc 17,17)

O Senhor é um Deus que quer alimentar não só a fome da nossa alma, a nossa fome espiritual. Ele quer ser o Senhor da nossa alma e do nosso espírito mas, o alimento de que nós precisamos e que devem os esforçarmo-nos por encontrar é Ele próprio, o Senhor. Isto só através da Fé : Acreditar em Jesus e viver dessa fé é alimentar-se com o alimento que leva à vida eterna.

Não busquemos a Deus por interesses pessoais. Não tratemos a Deus como um comércio porque Ele expulsou os comerciantes do templo. Se buscarmos primeiro o Senhor tudo o resto nos será dado por acréscimo como Ele nos disse (Mt 6,33).Que o senhor seja o nosso tudo, o centro da nossa história. Que Ele nos leve a discernir os verdadeiros caminhos…

ORAÇÃO

Damos-te graças, Pai, pela vossa palavra que alimenta a nossa fé em Cristo, ressuscitado para nossa salvação.

Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia, o pão que perdura, o corpo e sangue de Jesus na Eucaristia, pois ele é o único alimento que pode conduzir-nos sem medo para um futuro que não terminará jamais.

 

 

https://sagradaliturgia.com.br/index.php?date=2022-04-29

https://sagradaliturgia.com.br/index.php?date=2022-05-02

 

Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 6, 22-29

 

– Aleluia, aleluia, aleluia.

– O homem não vive somente de pão, mas de toda Palavra da boca de Deus (Mt 4,4);

 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João:

 

05 01 Jo  21, 1-19 Domingo III da Páscoa

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, Jesus manifestou-Se outra vez aos seus discípulos, junto do mar de Tiberíades. Manifestou-Se deste modo: Estavam juntos Simão Pedro e Tomé, chamado Dídimo, Natanael, que era de Caná da Galileia, os filhos de Zebedeu e mais dois discípulos de Jesus. Disse-lhes Simão Pedro: «Vou pescar». Eles responderam-lhe: «Nós vamos contigo». Saíram de casa e subiram para o barco, mas naquela noite não apanharam nada. Ao romper da manhã, Jesus apresentou-Se na margem, mas os discípulos não sabiam que era Ele. Disse-lhes Jesus: «Rapazes, tendes alguma coisa de comer?». Eles responderam: «Não». Disse-lhes Jesus: «Lançai a rede para a direita do barco e encontrareis». Eles lançaram a rede e já mal a podiam arrastar por causa da abundância de peixes. O discípulo predilecto de Jesus disse a Pedro: «É o Senhor». Simão Pedro, quando ouviu dizer que era o Senhor, vestiu a túnica que tinha tirado e lançou-se ao mar. Os outros discípulos, que estavam apenas a uns duzentos côvados da margem, vieram no barco, puxando a rede com os peixes. Quando saltaram em terra, viram brasas acesas com peixe em cima, e pão. Disse-lhes Jesus: «Trazei alguns dos peixes que apanhastes agora». Simão Pedro subiu ao barco e puxou a rede para terra, cheia de cento e cinquenta e três grandes peixes; e, apesar de serem tantos, não se rompeu a rede. Disse-lhes Jesus: «Vinde comer». Nenhum dos discípulos se atrevia a perguntar-Lhe: «Quem és Tu?», porque bem sabiam que era o Senhor. Jesus aproximou-Se, tomou o pão e deu-lho, fazendo o mesmo com os peixes. Esta foi a terceira vez que Jesus Se manifestou aos seus discípulos, depois de ter ressuscitado dos mortos. Depois de comerem, Jesus perguntou a Simão Pedro: «Simão, filho de João, tu amas-Me mais do que estes?». Ele respondeu-Lhe: «Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo». Disse-lhe Jesus: «Apascenta os meus cordeiros». Voltou a perguntar-lhe segunda vez: «Simão, filho de João, tu amas-Me?». Ele respondeu-Lhe: «Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo». Disse-lhe Jesus: «Apascenta as minhas ovelhas». Perguntou-lhe pela terceira vez: «Simão, filho de João, tu amas-Me?». Pedro entristeceu-se por Jesus lhe ter perguntado pela terceira vez se O amava e respondeu-Lhe: «Senhor, Tu sabes tudo, bem sabes que Te amo». Disse-lhe Jesus: «Apascenta as minhas ovelhas. Em verdade, em verdade te digo: Quando eras mais novo, tu mesmo te cingias e andavas por onde querias; mas quando fores mais velho, estenderás a mão e outro te cingirá e te levará para onde não queres». Jesus disse isto para indicar o género de morte com que Pedro havia de dar glória a Deus. Dito isto, acrescentou: «Segue-Me».

Palavra da salvação.

 

.

— Reflexão

  1. João através de linguagem simbólica apresenta-nos uma parábola sobre a missão da nova comunidade: libertar todos os homens (“os peixes”) que vivem mergulhados no mar do sofrimento. Esta libertação só é possível com a presença de Cristo. A pesca feita durante a noite significa a ausência de Jesus . O resultado da acção dos discípulos (de noite, sem Jesus) é um fracasso rotundo (“sem Mim, nada podeis fazer” – Jo 15,5).

 

A chegada da manhã (da luz) coincide com a presença de Jesus (Ele é a luz do mundo) Jesus dá-lhes indicações, eles obedecem com docilidade e as redes enchem-se de peixes. O êxito da missão não se deve ao esforço humano, mas sim à presença viva e à Palavra do Senhor ressuscitado. Os pães com que Jesus acolhe os discípulos em terra são um sinal do amor, e de Jesus pela sua comunidade em missão no mundo

 

Depois que nos alimenta, assim como fez com Pedro, Jesus também nos convoca para uma missão, para apascentar as Suas ovelhas mesmo que possamos ter negado a nossa fé no Seu poder. Pedro, que antes negara Jesus teve a oportunidade de declarar o seu amor e confirmar a sua fidelidade. Assim, o Senhor nos ensina também, que, mesmo sendo traidores e infiéis por nossas negações, a Sua misericórdia é imensa e Ele precisa do nosso serviço na construção do Seu reino. “Apascenta os meus cordeiros!” “Apascenta as minhas ovelhas!” este o Seu pedido para cada um de nós

 

Abramo-nos a Deus , encontremo-nos com Ele na Palavra que Ele nos dá no seu Evangelho e transformemo-nos em autênticos missionários.

 

Oração

Vem, Divino Espírito, enchei-nos com a vossa Sabedoria. Vem divino Espírito Santo, enchei-nos com a vossa vida para que possamos permanecer firmes na Fé e sermos testemunhas credíveis do vosso amor. Cantemos todos Senhor vela por mim…