09 15 Lc 7, 36-50Quinta-feira da semana XXIV

09 15 Lc 7, 36-50Quinta-feira da semana XXIV

XI Domingo do Tempo Comum - Ano C

 

 

EVANGELHO Lc 7, 36-50
«São-lhe perdoados os seus muitos pecados, porque muito amou»

.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, um fariseu convidou Jesus para comer com ele. Jesus entrou em casa do fariseu e tomou lugar à mesa. Então, uma mulher – uma pecadora que vivia na cidade – ao saber que Ele estava à mesa em casa do fariseu, trouxe um vaso de alabastro com perfume; pôs-se atrás de Jesus e, chorando muito, banhava-Lhe os pés com as lágrimas e enxugava-lhos com os cabelos, beijava-os e ungia-os com o perfume. Ao ver isto, o fariseu que tinha convidado Jesus pensou consigo: «Se este homem fosse profeta, saberia que a mulher que O toca é uma pecadora». Jesus tomou a palavra e disse-lhe: «Simão, tenho uma coisa a dizer-te». Ele respondeu: «Fala, Mestre». Jesus continuou: «Certo credor tinha dois devedores: um devia-lhe quinhentos denários e o outro cinquenta. Como não tinham com que pagar, perdoou a ambos. Qual deles ficará mais seu amigo?». Respondeu Simão: «Aquele – suponho eu – a quem mais perdoou». Disse-lhe Jesus: «Julgaste bem». E voltando-Se para a mulher, disse a Simão: «Vês esta mulher? Entrei em tua casa e não Me deste água para os pés; mas ela banhou-Me os pés com as lágrimas e enxugou-os com os cabelos. Não Me deste o ósculo; mas ela, desde que entrei, não cessou de beijar-Me os pés. Não Me derramaste óleo na cabeça; mas ela ungiu-Me os pés com perfume. Por isso te digo: São-lhe perdoados os seus muitos pecados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama». Depois disse à mulher: «Os teus pecados estão perdoados». Então os convivas começaram a dizer entre si: «Quem é este homem, que até perdoa os pecados?». Mas Jesus disse à mulher: «A tua fé te salvou. Vai em paz».
Palavra da salvação.

 

REFLEXÃO

Todo este episódio, cujos pormenores se compreendem facilmente no ambiente das sociedades orientais, mostra como S. Lucas tanto gosta de pôr em realce a misericórdia de Jesus. Com uma breve parábola, Jesus mostra a Simão que os seus pensamentos não iam bem orientados; de facto, não se tratava de Se deixar tocar por uma pecadora, mas de acolher uma penitente e de lhe dar o perdão. (Esta penitente não deve ser confundida com Maria, irmã de Marta, nem provavelmente com Maria de Magdala, a Madalena)

 

REFLEXÃO
Uma mulher da vida, atreveu-se a entrar na casa de um fariseu Simão e a ungir os pés de Jesus com perfume. Este fato levou o fariseu a duvidar da missão profética de Jesus
Jesus, servindo-se da parábola dos dois devedores ,mostra a Simão como os seus pensamentos não estavam a ser corretos. Se um devia cinquenta (O fariseu) e outro quinhentos denários (Maria) e ambos foram perdoados obviamente quem devia ficar mais agradecida seria Maria “Os seus numerosos pecados estão perdoados, porque tem muito amor.
Neste trecho vemos representados dois tipos de religiosidade a arrogante e auto-suficiente dos fariseus longe do reino de Deus ; e a autêntica relação humilde com Deus, de Maria Madalena que a leva despojar-se de si mesma a obter o dom do perdão e do amor de Deus.
Não nos libertamos do próprio pecado nem merecemos a graça de Deus pelo nosso esforço pessoal (é a atitude do fariseu), mas aceitando o amor e o perdão gratuitos de Deus (é a opção da pecadora). Igualmente, em relação aos irmãos, o que não se sente pecador e imperfeito é incapaz de construir fraternidade, de compreender e perdoar aos outros.
Jesus está sempre pronto a dar-nos o perdão, por maior que sejam os nossos pecados e infidelidades, porque nunca se cansa de perdoar A nascente desta misericórdia e benevolência para connosco é, por disposição sua, o sacramento da reconciliação ou penitência, no qual atua e aplica- se nos a força redentora da paixão, morte e ressurreição de Cristo,
ORAÇÃO
Senhor Deus que não vos cansais de usar de misericórdia para connosco, concedei-nos um coração penitente e fiel que saiba corresponder ao vosso amor de Pai, para que difundamos ao longo dos caminhos do mundo a mensagem da reconciliação e da paz.