08 12 Mt 19, 3-12 Sexta Feira – não separe o homem o que Deus uniu»

 

EVANGELHO Mt 19, 3-12

«Foi por causa da dureza do vosso coração que Moisés vos permitiu repudiar as vossas mulheres. Mas no princípio não foi assim»

 

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus

Naquele tempo, aproximaram-se de Jesus alguns fariseus para O porem à prova e disseram-Lhe: «É permitido ao homem repudiar a sua esposa por qualquer motivo?». Jesus respondeu: «Não lestes que o Criador, no princípio, os fez homem e mulher e disse: ‘Por isso o homem deixará pai e mãe para se unir à sua esposa e serão os dois uma só carne?’. Deste modo, já não são dois, mas uma só carne. Portanto, não separe o homem o que Deus uniu». Eles objectaram: «Porque ordenou então Moisés que se desse um certificado de divórcio para se repudiar a mulher?». Jesus respondeu-lhes: «Foi por causa da dureza do vosso coração que Moisés vos permitiu repudiar as vossas mulheres. Mas no princípio não foi assim. E Eu digo-vos: Quem repudiar a sua mulher, a não ser em caso de união ilegítima, e casar com outra, comete adultério». Disseram-Lhe os discípulos: Se é esta a situação do homem em relação à mulher, não é conveniente casar-se». Jesus respondeu-lhes: «Nem todos compreendem esta linguagem, senão aquele a quem é concedido. Na verdade, há eunucos que nasceram assim do seio materno, outros que foram feitos pelos homens e outros que se tornaram eunucos por causa do reino dos Céus. Quem puder compreender, compreenda».

REFLEXÃO  

“Alguns  fariseus perguntaram perguntaram a Jesus para o por  à prova: É lícito a alguém repudiar a sua mulher por qualquer motivo?”. Jesus responde   para concluir: “Pois o que Deus uniu, não o separe o homem”.

Ao ouvir Jesus, os seus discípulos reagem ingenuamente dizendo que, nesse caso, é melhor o estado de solteiro ou o celibato do que um matrimónio indissolúvel. “Mas ele disse-lhes: Nem todos podem com isso; só os que receberam esse dom… Há os que se fazem eunucos – em sentido figurado – pelo Reino dos céus. Faça-o quem puder”.

Segundo Jesus, a unidade estável do casal nasce da própria natureza e instituição do matrimónio e não como urna lei exterior ao mesmo. A indissolubilidade parece ser escândalo para alguns perante a norma corrente de conduta, isto é, a permissividade legal do divórcio.

Deus ajuda com a sua graça os esposos e pais de família que se mantêm em contacto com ele mediante a fé e a oração, vivendo assim em plenitude a dimensão religiosa do matrimónio cristão; o qual dará lugar simultaneamente a um perene e contínuo crescimento no amor e na fidelidade.

ORAÇÃO

Obrigado, Pai, vós estabelecestes a complementaridade dos sexos e não quereis que separe o homem o que vós   unistes