07-13 Mt 11, 25-27 Quarta-feira da semana XV

PALAVRA DE DEUS: A REVELAÇÃO AOS PEQUENOS - MATEUS 11,25-27 - REFLEXÃO  DIÁRIA

Meditação do Evangelho Mt 11, 25-27

 

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, Jesus exclamou: «Eu Te bendigo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas verdades aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, Eu Te bendigo, porque assim foi do teu agrado. Tudo Me foi dado por meu Pai. Ninguém conhece o Filho senão o Pai e ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar».
Palavra da salvação.

Reflexão
Esta passagem evangélica de hoje permite entrever timidamente o clima íntimo da oração filial de Jesus: “Dou-te graças, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e doutores e as revelaste às pessoas simples. Sim, Pai, assim te pareceu melhor”.
Jesus revela-se aos pequeninos e esconde-se aos sábios Os “sábios e doutores” são a elite religiosa de Israel, os teólogos e especialistas da lei mosaica, como eram os rabinos e fariseus. Os “simples”, objecto do desprezo de escribas e fariseus, são os pequenos e os pobres, os ignorantes e os marginalizados social e religiosamente Eles entram em comunhão com Ele e o seu Espírito, abre-lhe o coração e a inteligência à revelação do seu mistério e à boa nova do Reino. O caminho para entender a pessoa e a mensagem de Cristo não é a ciência e a sabedoria, mas a revelação gratuita de Deus aos que ele ama.
Escutar a Palavra com o coração puro e sincero é possibilitar Deus entrar no nosso coração e assumir a consciência da nossa identidade despojarmo-nos de nós mesmos, do nosso orgulho; lançarmo-nos nos caminhos da fraternidade e da humanidade, agarrarmo-nos ao essencial : viver “como se víssemos o invisível”.
Se assim procedermos entramos no mundo dos “pequeninos”. Somos pertença do Senhor. Somos discípulos de Jesus adquirimos a
verdadeira sabedoria para, fieis à nossa vocação realizarmos a nossa missão: anunciar o Reino, um reino de paz e de justiça, liberdade e perdão!…
Oração
Bendito sejais, Pai, Senhor do céu e da terra abri o nosso coração para escutar e entender a vossa palavra de vida, para captar os sinais do vosso amor e da vossa ternura, para conhecer-vos como Pai e a Jesus como irmão.

 

****************************************************************************************************************************************************************************************************************************

2022-07-13

Quarta-feira da semana XV

S. Henrique – MF
Verde ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha (cf. p. 19, n. 18).
L1: Is 10, 5-7. 13-16; Sal 93 (94), 5-6. 7-8. 9-10. 14-15
Ev: Mt 11, 25-27

* Na Diocese de Leiria-Fátima – Aniversário da Dedicação da Igreja Catedral. Na Sé – SOLENIDADE; nas outras igrejas da Diocese – FESTA
* Na Ordem Carmelita e na Ordem dos Carmelitas Descalços – S. Teresa de Jesus dos Andes, virgem – MF e MO
* Na Ordem Franciscana (III Ordem) – B. Angelina Marsciano, religiosa, da III Ordem – MF
* Na Congregação das Filhas de São Camilo – I Vésp. de S. Camilo de Lelis.

 

Missa

 

Antífona de entrada Cf. Sl 16, 15
Eu venho, Senhor, à vossa presença:
ficarei saciado ao contemplar a vossa glória.

Oração coleta
Senhor nosso Deus,
que mostrais aos errantes a luz da vossa verdade
para poderem voltar ao bom caminho,
concedei a quantos se declaram cristãos
que, rejeitando tudo o que é indigno deste nome,
sigam fielmente as exigências da sua fé.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.

LEITURA I (anos pares) Is 10, 5-7.13-16
«Porventura gloria-se o machado contra quem o empunha?»

Deus está presente em cada momento da história dos homens, e sempre para os salvar, mesmo quando estes não têm disso consciência, e até julgam que Ele está a destruir e a condenar. A Assíria é, nesta leitura, a imagem de todos os que perseguem e oprimem, sem compreender que Deus se serve disso mesmo para salvar e libertar!

Leitura do Livro de Isaías
Assim fala o Senhor: «Ai da Assíria, vara da minha ira e bastão da minha cólera! Enviei-a contra uma nação ímpia, mandei-a contra um povo que provoca o meu furor, para o saquear e levar os despojos, para o pisar como a lama das ruas. Mas a Assíria não pensava desse modo, o seu coração não tinha esse plano. O que ela pretendia era aniquilar, exterminar o maior número de nações. Porque ela diz: ‘Eu agi pela força do meu braço, actuei com a minha sabedoria, porque sou inteligente. Mudei as fronteiras dos povos, saqueei os seus tesouros, como um herói, derrubei os seus chefes. Como quem mete a mão num ninho, assim me apoderei da riqueza dos povos e, como se apanham ovos abandonados, assim eu apanhei a terra inteira, sem que houvesse um bater de asas, nem um pio sequer’. Porventura gloria-se o machado contra quem o empunha? Ou levanta-se a serra contra aquele que a maneja? Como se o bastão pudesse manejar quem o levanta ou o cajado pudesse levantar quem não é de madeira como ele! Por isso, o Senhor Deus do Universo fará definhar os mais robustos da Assíria e debaixo da sua glória acender-se-á um braseiro, um fogo devorador».
Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL Salmo 93 (94), 5-6.7-8.9-10.14-15 (R.14a)
Refrão: O Senhor não abandona o seu povo. Repete-se

Eles esmagam, Senhor, o vosso povo
e oprimem a vossa herança.
Matam a viúva e o estrangeiro
e tiram a vida aos órfãos. Refrão

E dizem: «O Senhor não vê,
o Deus de Jacob não presta atenção».
Ó gente estulta, reflecti;
e vós, insensatos, quando sereis prudentes? Refrão

Quem fez o ouvido não ouvirá?
Quem fez os olhos não verá?
Não poderá castigar quem educa as nações,
quem ensina aos homens a ciência? Refrão

O Senhor não rejeita o seu povo
nem abandona a sua herança.
Mas há-de julgar com justiça
e hão-de segui-la todos os corações rectos. Refrão

ALELUIA cf. Mt 11, 25
Refrão: Aleluia Repete-se

Bendito, sejais, ó Pai, Senhor do céu e da terra,
porque revelastes aos pequeninos os mistérios do reino.
Refrão

EVANGELHO Mt 11, 25-27
«Escondeste estas verdades aos sábios e inteligentes
e as revelaste aos pequeninos»

Os “pequeninos” são os discípulos de Jesus, as coisas que só a eles são reveladas são os mistérios do reino de Deus. De facto, o conhecimento destas verdades é fruto da revelação que Deus faz a quem escuta a sua palavra com o coração puro o sincero. O encontro com Deus só é possível se nos colocarmos diante d’Ele em atitude de verdade: verdade que é consciência da nossa profunda pobreza; verdade que é despojarmo-nos de nós mesmos, do nosso orgulho; verdade que é lançarmo-nos nos caminhos da fraternidade e da humanidade, como quem é capaz de se agarrar ao essencial, de viver “como se visse o invisível”.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, Jesus exclamou: «Eu Te bendigo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas verdades aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, Eu Te bendigo, porque assim foi do teu agrado. Tudo Me foi dado por meu Pai. Ninguém conhece o Filho senão o Pai e ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar».
Palavra da salvação.

Oração sobre as oblatas
Olhai, Senhor, para os dons da vossa Igreja em oração
e concedei aos fiéis que os vão receber
a graça de crescerem na santidade.
Por Cristo nosso Senhor.

Antífona da comunhão Cf. Sl 83, 4-5
As aves do céu encontram abrigo
e as andorinhas um ninho para os seus filhos, junto dos vossos altares,
Senhor dos Exércitos, meu Rei e meu Deus.
Felizes os que moram em vossa casa
e a toda a hora cantam os vossos louvores.

Ou: Cf. Jo 6, 57
Quem come a minha Carne e bebe o meu Sangue
permanece em Mim e Eu nele, diz o Senhor.

Oração depois da comunhão
Senhor, que nos alimentais à vossa mesa santa,
humildemente Vos suplicamos:
sempre que celebramos estes mistérios,
aumentai em nós os frutos da salvação.
Por Cristo nosso Senhor.

 

Santo

Santo Henrique