02 01 Mc 6, 7-13 Quinta

EVANGELHO Mc 6, 7-13
«Começou a enviá-los»

  1. Contextualização da Missão de Jesus: Nos capítulos anteriores, o Evangelista apresentou a missão de Jesus, preparando o terreno para a continuidade dessa missão.
  2. Transição para os Apóstolos: Agora, o foco passa para os Apóstolos, aqueles que Jesus envia. O termo “Apóstolo” significa “enviado”, indicando a natureza da sua missão como emissários de Jesus.
  3. Origem Divina da Missão: O Evangelista destaca que o Senhor deu o nome de “Apóstolos” a esses enviados e que Ele mesmo os envia com Seu próprio poder. Isso enfatiza a origem divina da missão deles, excluindo qualquer dependência de apoios materiais humanos.
  4. Propósito Duradouro: Os Apóstolos são designados para levar a Palavra de Jesus a todos os homens. A missão deles não é transitória, mas se estenderá até o fim dos tempos. O objetivo é permitir que todos participem no reino de Deus, sublinhando a universalidade e a eternidade da mensagem.
  5. Envolvimento Direto de Deus: O envio direto por Deus, sem apoios materiais externos, destaca a singularidade e a autenticidade da missão apostólica, ressaltando que esta não é uma iniciativa humana, mas divinamente ordenada.

Essencialmente, o trecho enfatiza a continuidade da missão de Jesus através dos Apóstolos, sublinhando sua origem divina, propósito duradouro e o envolvimento direto de Deus na sua designação.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Naquele tempo, Jesus chamou os doze Apóstolos e começou a enviá-los dois a dois. Deu-lhes poder sobre os espíritos impuros e ordenou-lhes que nada levassem para o caminho, a não ser o bastão: nem pão, nem alforge, nem dinheiro; que fossem calçados com sandálias, e não levassem duas túnicas. Disse-lhes também: «Quando entrardes em alguma casa, ficai nela até partirdes dali. E se não fordes recebidos em alguma localidade, se os habitantes não vos ouvirem, ao sair de lá, sacudi o pó dos vossos pés como testemunho contra eles». Os Apóstolos partiram e pregaram o arrependimento, expulsaram muitos demónios, ungiram com óleo muitos doentes e curaram-nos.
Palavra da salvação.

  1. Jesus chama e envia os doze Apóstolos: Este é um momento importante em que Jesus seleciona doze discípulos e envia os para proclamar a Boa Nova. Essa escolha reflete a continuidade da missão de Jesus na terra, agora realizada por esses enviados.
  2. Poder sobre os espíritos impuros: Jesus concede aos Apóstolos o poder de lidar com forças espirituais malignas. Isso destaca a natureza espiritual da missão deles, que não é apenas terrena, mas envolve uma batalha contra o mal.
  3. Instruções sobre desapego material: Ao orientar os Apóstolos a não levar consigo muitos pertences materiais, Jesus sublinha a confiança total em Deus durante a missão. Essa instrução destaca a dependência deles de Deus para as necessidades básicas.
  4. Perseverança e testemunho: A ordem para permanecer em uma casa e, se não forem recebidos, sacudir o pó dos pés, destaca a perseverança diante das dificuldades. Isso também serve como testemunho contra aqueles que recusam a mensagem, indicando a seriedade da missão.
  5. A ação dos Apóstolos: Os Apóstolos obedeceram às instruções de Jesus, pregaram o arrependimento, expulsaram demônios e curaram os doentes. Suas ações demonstram a autoridade divina concedida a eles e a eficácia da mensagem de Jesus.

Conclusão pastoral: Neste trecho, vemos o chamamento dos Apóstolos para continuar a obra de Jesus. A mensagem central é a confiança em Deus, a obediência às instruções divinas e a perseverança na missão, mesmo diante das dificuldades. Isso é relevante para todos nós, não apenas como seguidores de Cristo, mas também para qualquer pessoa que busca viver de acordo com princípios espirituais, destacando a importância do desapego material, confiança em Deus e testemunho através das ações. Que possamos nos inspirar na entrega e missão dos Apóstolos em nossas próprias atividades de fé e serviço.