12 13 Mt 21 28_32 Terça Feira

12 13  Mt 21 28_32  Terça Feira

«Veio João e os pecadores acreditaram nele» Mt 21, 28-32

 

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus

Naquele tempo, disse Jesus aos príncipes dos sacerdotes e aos anciãos do povo: «Que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Foi ter com o primeiro e disse-lhe: ‘Filho, vai hoje trabalhar na vinha’. Mas ele respondeu-lhe: ‘Não quero’. Depois, porém, arrependeu-se e foi. O homem dirigiu-se ao segundo filho e falou-lhe do mesmo modo. Ele respondeu: ‘Eu vou, Senhor’. Mas de facto não foi. Qual dos dois fez a vontade ao pai?» Eles responderam-Lhe: «O primeiro». Jesus disse-lhes: «Em verdade vos digo: Os publicanos e as mulheres de má vida irão diante de vós para o reino de Deus. João Baptista veio até vós, ensinando-vos o caminho da justiça, e não acreditastes nele; mas os publicanos e as mulheres de má vida acreditaram. E vós, que bem o vistes, não vos arrependestes, acreditando nele».

Palavra da salvação.

+-+

REFLEXÃO

 

     Jesus começa com uma pergunta comprometedora para levar a pensar os príncipes dos sacerdotes e os anciãos do povo acerca da reação dos filhos ao pedido do pai. O profeta de Nazaré denuncia as atitudes encontradas durante o seu ministério. Os justos, aqueles que tinham aderido a Deus com o compromisso de cumprir a Sua vontade, tinham recusado o apelo decisivo do Senhor de aceitar o seu reino. Sentiam-se seguros e protegidos pelas práticas religiosas que cumpriam fielmente e não reparavam sequer no seu afastamento da vinha do Senhor.

    Ao invés os pecadores tinham-se mostrado disponíveis e converteram-se. Os exemplos evangélicos são muitos: de um lado, o publicano Levi, Zaqueu e o bom ladrão; do outro, os fariseus, os sacerdotes e o jovem rico.

    Jesus conclui: os pecadores, como os «cobradores de impostos e as prostitutas», que não tinham nenhuma proteção religiosa, encontram-se com vantagem em relação àqueles que se julgam justos.

     Esta parábola tem também a ver connosco. Chamamo-nos cristãos mas muitas vezes adaptamo-nos aos critérios deste mundo. Jesus foi o único que disse sim ao Pai dando-se totalmente a favor da humanidade. Tornou-se realmente pobre, como recorda São Paulo, escrevendo aos Coríntios: «Conheceis a generosidade de Nosso Senhor Jesus Cristo; Ele, embora fosse rico, tornou-Se pobre por vossa causa, para com a sua pobreza vos enriquecer» (2COR 8,9).

     Oxalá possamos dizer um SIM generoso e comprometedor para construir o reino de Deus

ORAÇÃO

(Colecta, Missa do dia)

Senhor, que por meio de vosso Filho Unigénito fizestes de nós uma nova criatura, olhai com bondade para a obra do Vosso amor, e, pela Vinda do Redentor, purificai-nos de todas as culpas.