03 06 – Saborear a Palavra

O peregrino deu origem a um grupo muito especial , Saborear a Palavra cada dia partindo da meditação do Evangelho e dos comentários de cada participante

Deseja participar ?

É simples . Basta clicar aqui

Quer aderir a este grupo?  É só clicar e começar a escrever

https://chat.whatsapp.com/BZyOp57a3BjD3dgWVfEpLg

03 06

EVANGELHO Lc 4, 1-13
«Esteve no deserto, conduzido pelo Espírito, e foi tentado»

A tentação no Deserto não foi um acontecimento isolado. Foi *o começo duma luta *contra o «príncipe deste mundo», que se prolongará por toda a vida, atingindo o auge com a Morte em Jerusalém.
Como a de Jesus, *a vida do cristão* conhece também a prova da tentação. O Baptismo, que nos faz filhos de Deus, não nos introduz num estado de segurança. É antes o começo de dura caminhada, no decorrer da qual a nossa fidelidade a Deus é, muitas vezes, posta à prova.
Em todas as circunstâncias, porém, *o cristão poderá ser invencível*. Cristo Ressuscitado, que venceu, definitivamente, o mal, ficou na Eucaristia, para nos comunicar esse poder.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas

Naquele tempo, Jesus, cheio do Espírito Santo, retirou-Se das margens do Jordão. Durante quarenta dias, esteve no deserto, conduzido pelo Espírito, e foi tentado pelo Diabo. Nesses dias não comeu nada e, passado esse tempo, sentiu fome. O Diabo disse-lhe: «Se és Filho de Deus, manda a esta pedra que se transforme em pão». Jesus respondeu-lhe: «Está escrito: ‘Nem só de pão vive o homem’». O Diabo levou-O a um lugar alto e mostrou-Lhe num instante todos os reinos da terra e disse-Lhe: «Eu Te darei todo este poder e a glória destes reinos, porque me foram confiados e os dou a quem eu quiser. Se Te prostrares diante de mim, tudo será teu». Jesus respondeu-lhe: «Está escrito: ‘Ao Senhor teu Deus adorarás, só a Ele prestarás culto’». Então o Diabo levou-O a Jerusalém, colocou-O sobre o pináculo do templo e disse-Lhe: «Se és Filho de Deus, atira-Te daqui abaixo, porque está escrito: ‘Ele dará ordens aos seus Anjos a teu respeito, para que Te guardem’; e ainda: ‘Na palma das mãos te levarão, para que não tropeces em alguma pedra’». Jesus respondeu-lhe: «Está mandado: ‘Não tentarás o Senhor teu Deus’». Então o Diabo, tendo terminado toda a espécie de tentação, retirou-se da presença de Jesus, até certo tempo.

AMBIENTE

 Estamos no começo da actividade pública de Jesus. Ele acabou de ser baptizado por João Baptista e recebeu o Espírito para a missão (cf. Lc 3,21-22). Agora, confronta-Se com uma proposta de actuação messiânica que pretende subverter a proposta do Pai.
Também aqui não estamos diante de uma reportagem histórica, feita por um jornalista que presenciou o desafio entre Jesus e o diabo, algures no deserto… Estamos, sim, diante de uma página de catequese, cujo objectivo é ensinar-nos que Jesus, como nós, sentiu a mordedura das tentações. *Ele também sentiu a tentação de prescindir de Deus e de seguir um caminho humano de êxitos, de aplausos, de poder e de riqueza; no entanto, Ele soube dizer não a todas essas propostas que O afastavam do plano do Pai*.
 
MENSAGEM
 
Lucas (como já o havia feito Mateus) vai apresentar a catequese sobre as opções de Jesus, em três episódios ou “parábolas”. O relato constrói-se em torno de um diálogo em que tanto o diabo como Jesus citam a Escritura em apoio da sua opinião.
A primeira “parábola” sugere que Jesus poderia ter optado por *um caminho de facilidade e de riqueza*, utilizando a sua divindade para resolver qualquer necessidade material… No entanto, Jesus sabia que “nem só de pão vive o homem” e que o caminho do Pai não passa pela *acumulação egoísta de bens*. A resposta de Jesus cita Dt 8,3, sugerindo que o seu alimento – a sua prioridade – é a Palavra do Pai.
A segunda “parábola” sugere que Jesus poderia ter escolhido um caminho de poder, de domínio, de prepotência, ao jeito dos grandes da terra. No entanto, Jesus sabe que esses esquemas são diabólicos e que não entram nos planos do Pai; por isso, citando Dt 6,13, diz que só o Pai é o seu “absoluto” e que não se deve adorar mais nada: *adorar o poder que corrompe e escraviza não tem nada a ver com o projecto de Deus.*
A terceira “parábola” sugere que Jesus poderia ter construído um caminho de êxito fácil, mostrando o seu poder através de gestos espectaculares e sendo admirado e aclamado pelas multidões (sempre dispostas a deixarem-se fascinar pelo “show” mediático dos super-heróis). Jesus responde a esta proposta citando Dt 6,16, que manda “não tentar” o Senhor Deus: aqui, “tentar” significa *“não utilizar os dons de Deus ou a bondade de Deus com um fim egoísta e interesseiro”*.
Apresentam-se, portanto, diante de Jesus, dois caminhos. De um lado, está a proposta do diabo: que Jesus realize o seu papel na história da salvação como um *Messias triunfante* ao jeito dos homens. Do outro, está a escolha de Jesus: *um caminho de obediência ao Pai e de serviço aos homens, que elimina qualquer concepção do messianismo como poder.*
 
ACTUALIZAÇÃO
 Reflectir sobre as seguintes coordenadas:
 
• Frente a frente estão, hoje, a lógica de Deus e a lógica dos homens. A catequese que o Evangelho nos apresenta neste primeiro Domingo da Quaresma ensina que Jesus pautou cada uma das suas escolhas pela *lógica de Deus.* E nós, cristãos, seguidores de Jesus? É essa a nossa lógica, também?
 
• Deixar-se conduzir pela tentação dos bens materiais, do acumular mais e mais, do *olhar apenas para o seu próprio conforto* e comodidade, do fechar-se à partilha e às necessidades dos outros, é seguir o caminho de Jesus? Pagar salários de miséria aos operários e malbaratar fortunas em noitadas de jogo ou em coisas supérfluas (enquanto os irmãos, ao lado, gemem a sua miséria), é seguir o caminho de Jesus?
 
• Dentro de cada pessoa, existe o impulso de dominar, de ter autoridade, de prevalecer sobre os outros. Por isso – às vezes na Igreja – os pobres, os débeis, os humildes têm de suportar atitudes de prepotência, de autoritarismo, de intolerância, de abuso. A catequese de hoje sugere que este “caminho” é diabólico e não tem nada a ver com *o serviço simples e humilde que Jesus propôs nas suas palavras e nos seus gestos*.
 

Podemos, também, ceder à tentação de usar Deus ou os dons de Deus para brilhar, para dar espectáculo, para levar os outros a admirar-nos e a bater-nos palmas. A isto Jesus responde de forma determinada: *não utilizarás Deus em proveito da tua vaidade e do teu êxito pessoal.*

[11:18, 04/03/2022] Abilio Nunes DICTOF: Caríssimos amigos do grupo saborear a Palavra Este grupo visa responder a perguntas e inquietações propor metas e dar soluções e auxiliar os animadores das comunidades a falar com discernimento às comunidades.
[11:18, 04/03/2022] Abilio Nunes DICTOF: Cada participante responde quando quiser e como quiser e se quise

[10:53, 05/03/2022] Abilio Nunes DICTOF: MENSAGEM 2
O nosso grupo tenta crescer para Deus através da sua Palavra e do contributo de cada participante Aqui vai a Mensagem 2 – ao grupo de *“Saborear a Palavra” * (0305 – 08:00)
Quem poderá responder partilhando a sua fé ?
Interprete por suas próprias palavras o resumo do tema de domingo
• Repensar as nossas opções de vida
• tomar consciência das “tentações” que nos impedem de
o renascer para a vida nova,
o para a vida de Deus.
• Rezar com fervor o Pai Nosso dedicando especial atenção à último pedido a Deus : Não nos deixeis cair em tentação…
[12:06, 05/03/2022] Carmen: Bom dia a paz de Deus esteja com o mundo!
[12:24, 05/03/2022] Cristina: Repensar a nossa vida , não é repisar os erros do passado, sentirmos-nos eternamente culpados e, sim, como através deles, estamos a construir o nosso presente. Desistimos deles ou somente, os reconhecemos?
Tantas vezes nos resignamos aos nossos “pequenos” defeitos. Assumimo-los como parte da nossa personalidade e adotamos eternamente , o lema do meio certo como o natural e o que não incomoda. Quantas vezes nos pegamos a dizer: eu sei que tenho mau feitio…e seguimos em frente, com a convicção de que os outros, nos têm de aturar…
Meu Deus, porque és tão Bom, ajuda-me a não tornar a pecar.
[14:13, 05/03/2022] Abilio Nunes DICTOF: Mensagem 3 – Resposta
[14:13, 05/03/2022] Abilio Nunes DICTOF: Obrigado a Cristina que a milhares de km de distância ajudaste-me com a tua reflexão : Somos e seremos sempre imperfeitos mas podemos ser cada vez menos imperfeitos se soubermos construir com eles o nosso presente
Deus está sempre presente em nós e nos indica o caminho. Amanhã no Evangelho vamos ter a possibilidade de pensar no homem novo Cristo que nos apela a rezar com Fé o Pai Nosso e prestar especial atenção à última petição. Qual é ? Quem quer comentar?
[15:59, 05/03/2022] Maria Brilhante: O Cristão, no meu ponto de vista nunca perde a FÉ.Pois, é à Fé que nos agarramos aquando de alguma coisa que não nos corre como queremos na nossa vida.Pedimos com com toda a força que nos une a Deus que nos ajude, através da oração, das boas obras, da ajuda ao próximo.Muitas vezes somos tentados a fazer o que não devemos.Por vezes caímos nessa tentação inconscientemente. O que fazemos depois?
Pedimos perdão e obras de caridade, penitência.Pois temos que ter coragem e muita atenção para não nos deixarmos ir na conversa dos outros. Meu Deus, ajuda-me sempre a cumprir os teus mandamentos, pelo teu amor que me salvaste e sofreste por mim.
Não tenho o direito de Te abandonar, mas sim de Te Louvar e Amar!🙏
[16:39, 05/03/2022] Agostinho Catequista Na Sra Da Feira: Boas , para mim que sou católico as opções da vida são duas .
Ou se segue a Cristo que é a máxima ou deixamos de ser verdadeiros cristãos para não dizer que de cristãos pouco temos .
Da tentações são constantes e por vezes nem damos conta delas . Penso que uma das formas mais salutares de não cair em tentação é em caso de dúvida pedir que o nosso bom Jesus nos ajude e pensar . E se fosse o outro ,ou e se fosse a ti como reages . Nós últimos tempos quando me vem alguma dúvida o meu pensamento vai :
O que Jesus fazia ,dizia ,o que me tem deixado por dentro inquieto mas ao mesmo tempo alguma calma . Eu tenho sentido uma sensação estranha mas agradável.
Não nos deixes cair em tentação.,…
Tenho sentido aquela sensação estranha que me pede não te deixes …
[20:30, 05/03/2022] Sr Bruno Murches: As tentações são de facto constantes, a maioria como Cristão, de forma inconsciente. Damos conta, repensarmos e pedimos perdão. Este é o verdadeiro caminho na minha opinião e o grande trabalho será a ckareza em todos os momentos da nossa vida,….tarefa deveras dificil, mas que não é impossível,….fé, trabalho contínuo, ajuda dos que nos rodeiam, ajudar o próximo, viver em verdadeira comunidade!