Crónica do Peregrino do Transcendente

Será possivel ainda sonhar ?
[09:29, 29/01/2024] Avelino: Acredito que vale sempre a pena, desde que a nossa intenção seja baseada na expressão da página 50 do livro do Lema…”E SEJAM PACIENTES” (ou seja, demos tempo a tudo e deixemos que Deus seja Deus ). Eu digo…estejamos atentos ao que nos rodeia e ao chamamento de Deus, para actuarmos, sob o impulso Do Espírito Santo.

Peregrino:
. A paciência permite confiar no tempo de Deus e agir sob a orientação do Espírito Santo. É através dessa espera e discernimento que podemos seguir o caminho que Deus tem para nós.

A mensagem de “e sejam pacientes”, isto é, dar tempo a tudo e permitir que Deus seja Deus, é profundamente significativa. Essa paciência reflete confiança na vontade divina e na sabedoria do tempo de Deus. Às vezes, é difícil esperar, mas é nesse espaço de espera que a vontade de Deus se desdobra.

Portanto, diante dos desafios e incertezas, cultivar a paciência é uma expressão de fé. Ao dar tempo, permitimos que as coisas se desenrolem de acordo com o plano divino. Que essa virtude esteja presente em todos os momentos, guiando-nos com serenidade e confiança, enquanto confiamos que Deus age no tempo certo.


[09:58, 29/01/2024] Hugo Silva: Eu foquei-me no “campo”, no “prado” do sonho, que toda a vida de D. Bosco era rodeada de Jovens, que D. Bosco e Maria no sonho estavam presentes por causa dos jovens. E coloco novamente a questão, na nossa Paróquia, onde está o nosso campo? Os nossos jovens? Na nossa missão enquanto Cooperadores de D. Bosco que faço? Que rumo devo tomar? Será que outras mentalidades, métodos, um sacerdote próximo dos problemas do seu povo e escuntando-os não daria outros ou novos frutos??? Foi uma apresentação intensa, de profundo discernimento pessoal e comunitário.

Peregrino

É inspirador ver a reflexão profunda que fez sobre a vida de D. Bosco e a importância dos jovens em sua missão. A busca pelo “campo” ou “prado” dos jovens na paróquia é vital. Talvez a proximidade com os problemas das pessoas e uma escuta atenta possam, de fato, gerar novos frutos.

Considerando os ensinamentos de D. Bosco, adaptar métodos e ser um sacerdote próximo à comunidade pode ser uma abordagem valiosa. O discernimento pessoal e comunitário que demonstrou é fundamental para encontrar o rumo certo. Que sejamos capazes de encontrar maneiras eficazes de atender às necessidades e desafios dos jovens na nossa paróquia.

[10:48, 29/01/2024] Luz Canario: Os meus conhecimentos, dados pelos Sacerdotes Salesianos, toda a minha formação foi dedicada às crianças e jovens. Foi e é uma paixão, uma vocação. Para mim S. João Bosco são crianças, jovens e pessoas desfavorecidas.

Peregrino

É admirável ver a sua paixão e dedicação à formação de crianças, jovens e pessoas desfavorecidas, seguindo os princípios dos Sacerdotes Salesianos. Essa vocação é, de fato, uma bênção para a comunidade. S. João Bosco certamente encontraria alegria no seu compromisso em seguir os seus ensinamentos e dedicar-se ao bem-estar dos mais jovens e necessitados. Que o seu trabalho continue a ser guiado pela luz da sua vocação e que continue a ser uma fonte de inspiração para aqueles a quem serve.

Peregrino: Como encontrar o discernimento pessoal e comunitário?