01 30 L 1 2Sm 18, 9-10. 14b. 24-25a. 30 – 19, 3; Terça Feira

L 1 2Sm 18, 9-10. 14b. 24-25a. 30 – 19, 3;

2 Samuel 18, 9-10: 9 E Absalão encontrou-se com os servos de Davi. Absalão ia montado em um mulo, e o mulo entrou sob os ramos espessos de um grande carvalho, e a cabeça de Absalão prendeu-se ao carvalho; e ele ficou suspenso entre o céu e a terra, enquanto o mulo que estava debaixo dele continuou seu caminho. 10 Um homem viu isso e contou a Joabe: ‘Acabei de ver Absalão suspenso num carvalho.’

Explicação: Absalão, filho de Davi, encontra um destino trágico ao ficar preso em um carvalho enquanto fugia em um mulo. Esse incidente prenuncia a sua morte iminente.

2 Samuel 18, 14b: 14b Joabe disse: ‘Não vou gastar tempo contigo.’ E pegou três lanças e enfiou no coração de Absalão, ainda suspenso no carvalho.

Explicação: Joabe, o comandante, age decisivamente e mata Absalão para acabar com sua rebelião e prevenir qualquer ameaça futura a Davi.

2 Samuel 18, 24-25a: 24 Davi estava sentado entre as duas portas da cidade, e a sentinela subiu até o terraço da porta, ao lado da muralha. Levantou os olhos e viu um homem que vinha correndo sozinho. 25a A sentinela gritou, avisando o rei, e o rei disse: ‘Se ele está sozinho, há boas notícias nele.’

Explicação: Um mensageiro se aproxima correndo, e Davi espera ansiosamente para saber as notícias. A solidão do mensageiro sugere a possibilidade de boas notícias.

2 Samuel 18, 30: 30 Davi chorou a morte de Absalão, dizendo: ‘Ó meu filho Absalão, meu filho, meu filho Absalão! Quem me dera que eu tivesse morrido no teu lugar, Absalão, meu filho, meu filho!’

Explicação: A reação de Davi à morte de Absalão é de profunda tristeza e lamento. Ele expressa o desejo de ter morrido no lugar de seu filho.

2 Samuel 19, 3: 3 Então o povo voltou para a cidade como quem foge envergonhado depois de ter fugido da batalha.

Explicação: O povo retorna à cidade após a batalha, mas a descrição sugere um retorno marcado pela vergonha e derrota.