07-20 Quinta-feira da semana XV

Agenda litúrgica

2023-07-20

Quinta-feira da semana XV

S. Apolinário, bispo e mártir – MF
Verde ou verm. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha (cf. p. 19, n. 18).

L 1 Ex 3, 13-20; Sl 104 (105), 1 e 5. 8-9. 24-25. 26-27
Ev Mt 11, 28-30

 Peçamos ao Senhor um coração aberto e humilde para o descobrirmos. Humildemente digamos : Confesso 

PARTILHA

Como Moisés e todos os que nos precederam Deus fala-nos e revela-se a nós. Depende da nossa capacidade de reflexão. Esta revelação leva à oração e a uma ação empenhada.

Deus revela a Moisés o seu nome inefável “Eu sou aquele que sou” (Ex 3, 13-20 O Salmo104 (105) No Evangelho Jesus diz “o meu jugo é suave e  a minha carga é leve”  

 Deus fala-nos hoje e quer de nós uma resposta afetiva e efetiva de conversão ao seu reino. Ele revela a Moisés o seu nome inefável, “Eu sou aquele que sou”. Este nome significa que Deus é eterno, imutável e auto-existente. Ele não é uma criação, mas o Criador de todas as coisas. Ele é o único Deus verdadeiro, e nós devemos adorá-lo e servi-lo com todo o nosso coração, ama e mente.como nos diz o salmo 104 (é nosso Senhor e Salvador, e que devemos louvá-Lo e agradecer-Lhe por tudo o que Ele tem feito por nós.

No Evangelho, Jesus diz: “O meu jugo é suave e a minha carga é leve”. Esta é uma promessa que Jesus faz a todos que o seguem. Ele diz que Ele não vai colocar uma carga pesada sobre nós, mas que Ele vai nos dar descanso e paz. Ele nos convida a vir a Ele com todos os nossos fardos, e Ele promete que Ele vai carregá-los por nós.  Ele quer que nos voltemos para Ele com todo o nosso coração, e que Lhe confiemos todas as nossas preocupações. Ele promete que Ele vai nos dar descanso e paz, e que Ele vai nos carregar com todos os nossos fardos. Abandonemo-nos à sua

*

 

Missa

 

Antífona de entrada Cf. Sl 16, 15
Eu venho, Senhor, à vossa presença:
ficarei saciado ao contemplar a vossa glória.

Oração coleta
Senhor nosso Deus,
que mostrais aos errantes a luz da vossa verdade
para poderem voltar ao bom caminho,
concedei a quantos se declaram cristãos
que, rejeitando tudo o que é indigno deste nome,
sigam fielmente as exigências da sua fé.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.

LEITURA I (anos ímpares) Ex 3, 13-20
«Eu sou ‘Aquele que sou’.
O que Se chama ‘Eu sou’ enviou-me a vós»

Moisés recebe a revelação do Nome divino “Eu sou”, que corresponde ao nome de Iavé ou Javé. (Uma leitura inexacta desta palavra levou a lê-la também Jeová). Deus define-Se como Aquele que É, o “Existente”, mas que faz aliança com o seu povo. Toda a revelação futura não fará outra coisa senão desvendar, progressivamente, tudo quanto este nome divino encerra. Ele é um Deus pessoal, um Deus com Quem o homem pode dialogar. Deus revela-Se assim como Aquele que, sendo transcendente, estará sempre presente na vida do seu povo.

Leitura do Livro do Êxodo
Naqueles dias, Moisés ouviu do meio da sarça a voz do Senhor e disse-Lhe: «Vou procurar os filhos de Israel e dizer-lhes: ‘O Deus dos vossos pais enviou-me a vós’. Mas se me perguntarem qual é o seu nome, que hei-de responder-lhes?» Disse Deus a Moisés: «Eu sou ‘Aquele que sou’». E prosseguiu: «Assim falarás aos filhos de Israel: ‘O que Se chama “Eu sou” enviou-me a vós’». Deus disse ainda a Moisés: «Assim falarás aos filhos de Israel: ‘O Senhor, Deus de vossos pais, Deus de Abraão, Deus de Isaac e Deus de Jacob, enviou-me a vós. Este é o meu nome para sempre, assim Me invocareis de geração em geração’. Vai reunir os anciãos de Israel e diz-lhes: ‘O Senhor, o Deus dos vossos pais, Deus de Abraão, de Isaac e de Jacob, apareceu-me e disse-me: “Eu vi claramente como vos tratam no Egipto e decidi libertar-vos da opressão do Egipto e levar-vos para a região dos cananeus, dos hititas, dos amorreus, dos ferezeus, dos hevitas e dos jebuseus, para uma terra onde corre leite e mel”. Eles escutarão o teu apelo e tu irás com os anciãos de Israel à presença do rei do Egipto e dir-lhe-ás: “O Senhor, Deus dos hebreus, apareceu-nos. Permite que façamos uma viagem de três dias através do deserto, para irmos oferecer um sacrifício ao Senhor nosso Deus”. Eu sei que o rei do Egipto não vos deixará partir senão à força. Mas Eu estenderei a minha mão e ferirei o Egipto com toda a espécie de prodígios que nele hei-de realizar. Depois deixar-vos-á partir».
Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL Salmo 104 (105), 1 e 5.8-9.24-25.26-27 (R. 8a)
Refrão: O Senhor recorda a sua aliança para sempre. Repete-se
Ou: Aleluia Repete-se

Dai graças ao Senhor, aclamai o seu nome,
anunciai entre os povos as suas obras.
Recordai as maravilhas que Ele operou
e os seus prodígios e os oráculos da sua boca. Refrão

Ele recorda para sempre a sua aliança,
a palavra que empenhou para mil gerações,
o pacto que estabeleceu com Abraão,
o juramento que fez a Isaac. Refrão

Deus multiplicou o seu povo
e tornou-o mais forte que seus inimigos.
Mudou-lhes o coração e odiaram o seu povo
e trataram com perfídia os seus servos. Refrão

Enviou então Moisés, seu servo,
e Aarão, seu escolhido,
que realizaram prodígios no meio deles
e milagres na terra de Cam. Refrão

ALELUIA Mt 11, 28
Refrão: Aleluia Repete-se
Vinde a Mim, todos vós
que andais cansados e oprimidos,
e Eu vos aliviarei, diz o Senhor. Refrão

EVANGELHO Mt 11, 28-30
«Sou manso e humilde de coração»

O Senhor Jesus apresenta-Se a todos os que sofrem, esmagados sob o peso de todos os fardos, como Aquele que pode dar o alívio, a paz e o repouso. Assim, Jesus realiza em Si a figura com que, já no Antigo Testamento, a Sabedoria convidava todos os que a escutavam a virem procurar em si a força e a alegria. E não é Ele a Sabedoria de Deus, agora presente no meio dos homens?

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, Jesus exclamou: «Vinde a Mim, todos os que andais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e a minha carga é leve».
Palavra da salvação.

Oração sobre as oblatas
Olhai, Senhor, para os dons da vossa Igreja em oração
e concedei aos fiéis que os vão receber
a graça de crescerem na santidade.
Por Cristo nosso Senhor.

Antífona da comunhão Cf. Sl 83, 4-5
As aves do céu encontram abrigo
e as andorinhas um ninho para os seus filhos, junto dos vossos altares,
Senhor dos Exércitos, meu Rei e meu Deus.
Felizes os que moram em vossa casa
e a toda a hora cantam os vossos louvores.

Ou: Cf. Jo 6, 57
Quem come a minha Carne e bebe o meu Sangue
permanece em Mim e Eu nele, diz o Senhor.

Oração depois da comunhão
Senhor, que nos alimentais à vossa mesa santa,
humildemente Vos suplicamos:
sempre que celebramos estes mistérios,
aumentai em nós os frutos da salvação.
Por Cristo nosso Senhor.