10 22 Lc 13 , 1-9 S. João Paulo II – Sábado (Rascunho)

(Documentos em rascunho para preparação da Eucaristia deste dia

INTRODUÇÃO 

A nossa peregrinação na nossa vida: PTCC
Deus traçou-nos um destino que desde tenra idade aprendi Catecismo Pio X : Conhecermos amarmos e servirmos…

Pio XII, João XXIII, Paulo VI e João Paulo I JOÃO PAULO ii …do nosso tempo

Datas lugares e obras : Polaco, Cracóvia (arcebispo 1964) 1978 PAPA

Solicitude apostólica Porque viajas tanto? .Conhecer, amar …Sabio, empreendor, místico , grande devoto de Maria a quem consagrou a sua vida (Totus tuus)  Herança  a promulgação do Catecismo da Igreja Católica e do Código de Direito Canónico para a Igreja latina e oriental.

Mistérios luminosos Morreu em Roma, no 2 de abril de 2005.A nossa carreira para Deus. Celebremos com Fé. Gratidaão passado otimismo presente fé no futuro

O seu trabalho e o meu teu e nosso trabalho : Servir a Igreja de Cristo O serviço de cada um, a partir do dom recebido, é essencial para o s uma Igreja em crescimento, em caminho sinodal, sempre a partir de Cristo e baseada no amor.

Jornadas e a organização os milhões de peregrinos que vêm de todo o mundo: celebrar para acolher

https://www.liturgia.pt/liturgiadiaria/dia.php?data=2022-10-22

 

Palavra

Salmo

SALMO RESPONSORIAL Salmo 121 (122), 1-2.3-4a.4b-5 (R. 1)
Refrão: Vamos com alegria para a casa do Senhor. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se Disposição de todo o irmão . Saúde. razão de ser da nossa vida. Caminhantes . Sentido da pertença às tribos do Senhor . Nome. tribunais

1ª Leitura

LEITURA I (anos pares) Ef 4, 7-16 Crescer para Cristo (unidade) Vida intima da trindade para os irmãos . Unidade
«Cresceremos em tudo para Cristo, que é a Cabeça»
Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Efésios (tarefas de cada um na Igreja Apostolos Evangelistas, mestres para bem da Igreja. . Assim, já não somos crianças inconstantes, levados ao sabor de todas as correntes de doutrina, à mercê da maldade dos homens, da astúcia com que induzem ao erro.  Cada um tem importância nesta maravilhosa construção do reino de Deus O serviço de cada um, a partir do dom recebido, é essencial para o crescimento do corpo na harmonia da mesma fé. Todos queremos não um Igreja estática, mas uma Igreja em crescimento, em caminho sinodal, sempre a partir de Cristo e baseada no amor.

Evangelho

A conversão deve ser constante na nossa vida. «Se não vos arrependerdes, morrereis do mesmo modo»Aproveitar o tempo para produzir frutos . Não sabemos quando nem onde …Tempo de conversão Premios e castigos  felizes ou infelizes
. Deus é sempre amor, espera sempre a hora da conversão, e só esta conversão interior liberta o homem de infelicidade. dois casos, condenação dos galileus ; colapso da torre : Deus permite tais desgraças  (não é castigo)  Somos pecadores diante de Deus. «Morrereis do mesmo modo», vós os que vos julgais justos, só porque não vos aconteceu tragédia igual. A vossa vida pode ser tão inútil como a da figueira que não dá fruto. A leitura cristã que devemos fazer destes factos não é fatalista, nem de revolta contra Deus. . A partir da morte de Cristo, trágica e injusta, toda a morte tem um sentido misterioso mas salvador. O texto do Evangelho tem implícita uma lição de compaixão. Do mesmo modo que Deus tem compaixão de mim e me cuida com todo o carinho e atenção sou chamado a usar da mesma compaixão para com os irmãos a quem a tragédia bate à porta.

Conclusão

Aproveitar o tempo. Gratidão otimismo e Fé. Chegamos ao Fim …Continuamos em permanente ação de graças velando pela nossa conversão

Este texto convida o crente a mudar a sua maneira de pensar e sentir, para viver de acordo com os critérios de Jesus e o seu modo de conduta, expressos na sua vida e doutrina; a converter o coração à fraternidade, à paz e à concórdia. A mudança interior é um processo contínuo; requer um crescimento ininterrupto e ascendente. Para isso contamos com a ajuda do Senhor.

***********************************************************************************************************************************************************

O Evangelho põe-nos perante dois casos, que hoje podíamos considerar «casos de jornal» ou de abertura de telejornal: Herodes manda matar uns tantos galileus revoltosos; e o caso do colapso da torre, causando o esmagamento de dezoito homens. Os casos servem para confrontar Jesus sobre a decisão de Deus permitir aquelas desgraças. Jesus liberta sempre o homem destas correntes ideológicas que apontam para castigo de Deus. Deus não age assim e o mal não atinge só os pecadores. Afinal todos somos pecadores diante de Deus. «Morrereis do mesmo modo», vós os que vos julgais justos, só porque não vos aconteceu tragédia igual. A vossa vida pode ser tão inútil como a da figueira que não dá fruto. A leitura cristã que devemos fazer destes factos não é fatalista, nem de revolta contra Deus. A morte é um mistério, e não é Deus quem a manda como castigo dos pecados nem ‘a permite´ apesar da sua bondade. No seu plano não entrava a morte, mas o que entra sim é que até da morte tira a vida, e do mal, o bem. A partir da morte de Cristo, trágica e injusta, toda a morte tem um sentido misterioso mas salvador. O texto do Evangelho tem implícita uma lição de compaixão. Do mesmo modo que Deus tem compaixão de mim e me cuida com todo o carinho e atenção sou chamado a usar da mesma compaixão para com os irmãos a quem a tragédia bate à porta.

PERGUNTO.
Estou atento aos que sofrem sem os julgar e apenas com amor?

REZO.
Não permitas, Senhor, que me torne insensível à dor dos outros que experimentam o sofrimento e a morte na própria pele.

10 22 Lc 13, 1-9   Sábado da semana XXIX . João Paulo II ,

 

 

 

EVANGELHO Lc 13, 1-9
«Se não vos arrependerdes, morrereis do mesmo modo»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, vieram contar a Jesus que Pilatos mandara derramar o sangue de certos galileus, juntamente com o das vítimas que imolavam. Jesus respondeu-lhes: «Julgais que, por terem sofrido tal castigo, esses galileus eram mais pecadores do que todos os outros galileus? Eu digo-vos que não. E se não vos arrependerdes, morrereis todos do mesmo modo. E aqueles dezoito homens, que a torre de Siloé, ao cair, atingiu e matou? Julgais que eram mais culpados do que todos os outros habitantes de Jerusalém? Eu digo-vos que não. E se não vos arrependerdes, morrereis todos de modo semelhante. Jesus disse então a seguinte parábola: «Certo homem tinha uma figueira plantada na sua vinha. Foi procurar os frutos que nela houvesse, mas não os encontrou. Disse então ao vinhateiro: ‘Há três anos que venho procurar frutos nesta figueira e não os encontro. Deves cortá-la. Porque há-de estar ela a ocupar inutilmente a terra?’ Mas o vinhateiro respondeu-lhe: ‘Senhor, deixa-a ficar ainda este ano, que eu, entretanto, vou cavar-lhe em volta e deitar-lhe adubo. Talvez venha a dar frutos. Se não der, mandarás cortá-la».
Palavra da salvação.

 

 

REFLEXÃO

A Igreja celebra hoje a memória de S. João Paulo  II.
Carlos José Wojtyła nasceu na localidade de Wadowice, na Polónia, em 1920. Ordenado presbítero, continuou os seus estudos teológicos em Roma. Regressado ao seu país, foi nomeado bispo auxiliar de Cracóvia e, em 1964, arcebispo do mesmo lugar. Tomou parte no II Concílio Ecuménico do Vaticano. Eleito papa a 16 de outubro de 1978, com o nome de João Paulo II, distinguiu-se pela extraordinária solicitude apostólica, o que o levou a realizar numerosas visitas pastorais a todo o mundo. Entre os frutos mais significativos, deixados em herança à Igreja, destacam-se o seu Magistério e a promulgação do Catecismo da Igreja Católica e do Código de Direito Canónico para a Igreja latina e oriental. Morreu em Roma, no 2 de abril de 2005.

O Evangelho de hoje Lc 13, 1-9  aplica-se perfeitamente a S. João Paulo II . Ao longo da sua peregrinação neste mundo , falando  com Deus e falando de Deus foi “uma figueira frutífera” A sua fé viva gerou nele um coração como o de Jesus. Arauto defensor da  fraternidade ,da  paz e da concórdia.

 

Jesus, aproveitando acontecimentos tristes e recentes, exorta os seus ouvintes à conversão; e por meio de uma breve parábola a da figueira, convida-os a aproveitarem bem o tempo que lhes resta para darem os frutos que o Senhor espera. Ele é sempre amor, espera sempre a hora da conversão, e só esta conversão interior liberta o homem de infelicidade. Exige porém a nossa adesão à sua vontade «se não vos arrependerdes, morrereis todos de modo semelhante.>

 

    A parábola aplica-se ao povo de Israel (a figueira infrutífera) Deus (o dono da figueira) Cristo e os profetas (o vinhateiro) Três anos de esterilidade (duração do ministério apostólico de Jesus) a missão aos Judeus por parte da Igreja apostólica (ano de cuidados intensivos) , o corte definitivo (destruição de Jerusalém e do templo)

 

Quer o povo israelita quero novo povo de Deus devem ser uma comunidade fecunda pela fé ativa que brota de um coração continuamente convertido ao Senhor, uma fé que atue pela caridade, uma fé pessoal e ativa na prática do amor a Deus e ao próximo;

Este texto convida o crente a mudar a sua maneira de pensar e sentir, para viver de acordo com os critérios de Jesus e o seu modo de conduta, expressos na sua vida e doutrina; a converter o coração à fraternidade, à paz e à concórdia. A mudança interior é um processo contínuo; requer um crescimento ininterrupto e ascendente. Para isso contamos com a ajuda do Senhor.

 

Oração

 

Bendizemos-te, Deus da paciência, porque continuamente nos convidas a uma conversão

Queremos converter-nos aos valores do Reino: desprendimento, fraternidade, paz, misericórdia, pureza de coração, generosidade e esperança.

 **********************************************************************************************************************************************************

Lc 13, 1-9

Introdução

A nossa peregrinação na nossa vida: PTCC
Deus traçou-nos um destino que desde tenra idade aprendi Catecismo Pio X : Conhecermos amarmos e servirmos…

Pio XII, João XXIII, Paulo VI e João Paulo I JOÃO PAULO ii …do nosso tempo

Datas lugares e obras : Polaco, Cracóvia (arcebispo 1964) 1978 PAPA

Solicitude apostólica Porque viajas tanto? .Conhecer, amar …Sabio, empreendor, místico , grande devoto de Maria a quem consagrou a sua vida (Totus tuus)  Herança  a promulgação do Catecismo da Igreja Católica e do Código de Direito Canónico para a Igreja latina e oriental.

Mistérios luminosos Morreu em Roma, no 2 de abril de 2005.A nossa carreira para Deus. Celebremos com Fé. Gratidaão passado otimismo presente fé no futuro

O seu trabalho e o meu teu e nosso trabalho : Servir a Igreja de Cristo O serviço de cada um, a partir do dom recebido, é essencial para o s uma Igreja em crescimento, em caminho sinodal, sempre a partir de Cristo e baseada no amor. Jornadas e a organização os milhões de peregrinos que vêm de todo o mundo: celebrar para acolher

 

Palavra

Salmo

1ª Leitura

Evangelho

Conclusão

ESCUTO.

Somos Igreja, que tem Cristo por Cabeça e nós como seus membros. É Cristo quem faz crescer o corpo e para isso concede a cada um a graça que se manifesta de diversas formas, apóstolos, evangelistas, pastores. Tudo para o aperfeiçoamento de cada um e para a edificação do corpo de Cristo. O serviço de cada um, a partir do dom recebido, é essencial para o crescimento do corpo na harmonia da mesma fé. Todos queremos não um Igreja estática, mas uma Igreja em crescimento, em caminho sinodal, sempre a partir de Cristo e baseada no amor.

O Evangelho põe-nos perante dois casos, que hoje podíamos considerar «casos de jornal» ou de abertura de telejornal: Herodes manda matar uns tantos galileus revoltosos; e o caso do colapso da torre, causando o esmagamento de dezoito homens. Os casos servem para confrontar Jesus sobre a decisão de Deus permitir aquelas desgraças. Jesus liberta sempre o homem destas correntes ideológicas que apontam para castigo de Deus. Deus não age assim e o mal não atinge só os pecadores. Afinal todos somos pecadores diante de Deus. «Morrereis do mesmo modo», vós os que vos julgais justos, só porque não vos aconteceu tragédia igual. A vossa vida pode ser tão inútil como a da figueira que não dá fruto. A leitura cristã que devemos fazer destes factos não é fatalista, nem de revolta contra Deus. A morte é um mistério, e não é Deus quem a manda como castigo dos pecados nem ‘a permite´ apesar da sua bondade. No seu plano não entrava a morte, mas o que entra sim é que até da morte tira a vida, e do mal, o bem. A partir da morte de Cristo, trágica e injusta, toda a morte tem um sentido misterioso mas salvador. O texto do Evangelho tem implícita uma lição de compaixão. Do mesmo modo que Deus tem compaixão de mim e me cuida com todo o carinho e atenção sou chamado a usar da mesma compaixão para com os irmãos a quem a tragédia bate à porta.

PERGUNTO.
Estou atento aos que sofrem sem os julgar e apenas com amor?

REZO.
Não permitas, Senhor, que me torne insensível à dor dos outros que experimentam o sofrimento e a morte na própria pele.

10 22 Lc 13, 1-9   Sábado da semana XXIX . João Paulo II ,

 

 

 

EVANGELHO Lc 13, 1-9
«Se não vos arrependerdes, morrereis do mesmo modo»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, vieram contar a Jesus que Pilatos mandara derramar o sangue de certos galileus, juntamente com o das vítimas que imolavam. Jesus respondeu-lhes: «Julgais que, por terem sofrido tal castigo, esses galileus eram mais pecadores do que todos os outros galileus? Eu digo-vos que não. E se não vos arrependerdes, morrereis todos do mesmo modo. E aqueles dezoito homens, que a torre de Siloé, ao cair, atingiu e matou? Julgais que eram mais culpados do que todos os outros habitantes de Jerusalém? Eu digo-vos que não. E se não vos arrependerdes, morrereis todos de modo semelhante. Jesus disse então a seguinte parábola: «Certo homem tinha uma figueira plantada na sua vinha. Foi procurar os frutos que nela houvesse, mas não os encontrou. Disse então ao vinhateiro: ‘Há três anos que venho procurar frutos nesta figueira e não os encontro. Deves cortá-la. Porque há-de estar ela a ocupar inutilmente a terra?’ Mas o vinhateiro respondeu-lhe: ‘Senhor, deixa-a ficar ainda este ano, que eu, entretanto, vou cavar-lhe em volta e deitar-lhe adubo. Talvez venha a dar frutos. Se não der, mandarás cortá-la».
Palavra da salvação.

 

 

REFLEXÃO

A Igreja celebra hoje a memória de S. João Paulo  II.
Carlos José Wojtyła nasceu na localidade de Wadowice, na Polónia, em 1920. Ordenado presbítero, continuou os seus estudos teológicos em Roma. Regressado ao seu país, foi nomeado bispo auxiliar de Cracóvia e, em 1964, arcebispo do mesmo lugar. Tomou parte no II Concílio Ecuménico do Vaticano. Eleito papa a 16 de outubro de 1978, com o nome de João Paulo II, distinguiu-se pela extraordinária solicitude apostólica, o que o levou a realizar numerosas visitas pastorais a todo o mundo. Entre os frutos mais significativos, deixados em herança à Igreja, destacam-se o seu Magistério e a promulgação do Catecismo da Igreja Católica e do Código de Direito Canónico para a Igreja latina e oriental. Morreu em Roma, no 2 de abril de 2005.

O Evangelho de hoje Lc 13, 1-9  aplica-se perfeitamente a S. João Paulo II . Ao longo da sua peregrinação neste mundo , falando  com Deus e falando de Deus foi “uma figueira frutífera” A sua fé viva gerou nele um coração como o de Jesus. Arauto defensor da  fraternidade ,da  paz e da concórdia.

 

Jesus, aproveitando acontecimentos tristes e recentes, exorta os seus ouvintes à conversão; e por meio de uma breve parábola a da figueira, convida-os a aproveitarem bem o tempo que lhes resta para darem os frutos que o Senhor espera. Ele é sempre amor, espera sempre a hora da conversão, e só esta conversão interior liberta o homem de infelicidade. Exige porém a nossa adesão à sua vontade «se não vos arrependerdes, morrereis todos de modo semelhante.>

 

    A parábola aplica-se ao povo de Israel (a figueira infrutífera) Deus (o dono da figueira) Cristo e os profetas (o vinhateiro) Três anos de esterilidade (duração do ministério apostólico de Jesus) a missão aos Judeus por parte da Igreja apostólica (ano de cuidados intensivos) , o corte definitivo (destruição de Jerusalém e do templo)

 

Quer o povo israelita quero novo povo de Deus devem ser uma comunidade fecunda pela fé ativa que brota de um coração continuamente convertido ao Senhor, uma fé que atue pela caridade, uma fé pessoal e ativa na prática do amor a Deus e ao próximo;

Este texto convida o crente a mudar a sua maneira de pensar e sentir, para viver de acordo com os critérios de Jesus e o seu modo de conduta, expressos na sua vida e doutrina; a converter o coração à fraternidade, à paz e à concórdia. A mudança interior é um processo contínuo; requer um crescimento ininterrupto e ascendente. Para isso contamos com a ajuda do Senhor.

 

Oração

 

Bendizemos-te, Deus da paciência, porque continuamente nos convidas a uma conversão

Queremos converter-nos aos valores do Reino: desprendimento, fraternidade, paz, misericórdia, pureza de coração, generosidade e esperança.