Partilha 19/26

Partilha com grupo … whatsapp19/26 ou se quiser pertencer envie-nos um email para o nosso correio eletrónico dictof@gmail.com

Este grupo vai colaborar na leitura e interpretação da lectio divina a partir do dia 19 a 26 de Dezembro.

Todas as pessoas são aceites desde que aceitem ser recetores e emissores. Só aceitamos participantes ativos. O que recebemos devemos partilhar …

Aguarde mais instruções

*******************************************************************************************

Partilha do Evangelho do IV Domingo do Advento

Maria visita Isabel

39 E, naqueles dias, levantando-se Maria, foi apressada às montanhas, a uma cidade de Judá, 40 e entrou em casa de Zacarias, e saudou a Isabel. 41 E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo, 42 e exclamou com grande voz, e disse: Bendita és tu entre as mulheres, e é bendito o fruto do teu ventre! 43 E de onde me provém isso a mim, que venha visitar-me a mãe do meu Senhor? 44 Pois eis que, ao chegar aos meus ouvidos a voz da tua saudação, a criancinha saltou de alegria no meu ventre. 45 Bem-aventurada a que creu, pois hão de cumprir-se as coisas que da parte do Senhor lhe foram ditas!

O cântico de Maria

46 Disse, então, Maria: A minha alma engrandece ao Senhor, 47 e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, 48 porque atentou na humildade de sua serva; pois eis que, desde agora, todas as gerações me chamarão bem-aventurada

EVANGELHO Lc 1,39-48

Donde me é dado

que venha ter comigo a Mãe do meu Senhor?

Ler a Palav;:.

Depois de ter recebido o anúncio do anjo Gabriel de que se tornaria Mãe de Jesus, Maria fica desconcertada e pergunta: «Como vai acontecer isso?» (Lc 1,34) Para tornar mais verosímil e aceitável o anúncio extraordinário dessa maternidade, o anjo revela a Maria que também a sua prima Isabel fora agraciada por um acontecimento semelhante e concebeu um filho em condições humanamente difíceis: «Na sua velhice» (Lc 1,36).

Então Maria põe-se a caminho para ver – porventura para verificar – o que o anjo lhe tinha anunciado. O encontro entre as duas mulheres transforma-se em algo revelador.

Compreender a Palavra

O evangelista quer apresentar o nascimento de Jesus como o último estádio da história da Salvação começada com Abraão. João Baptista é o elo histórico e simbólico de união entre os dois períodos salvíficos do Antigo e do Novo Testamento. No texto evangélico lemos um pormenor decisivo sobre a ligação íntima entre o judaísmo e o cristianismo nascente: no encontro de Maria com Isabel – grávida de João Baptista – será precisamente este último a reconhecer Jesus como Messias. A intenção de Lucas no texto da «visitação» é, portanto, de carácter teológico. O encontro misterioso e ancestral entre duas crianças que ainda devem nascer, «frutos» ocultos no seio de suas mães, as quais se sobressaltam e se reconhecem, revela às duas mulheres o poder de um mistério divino que está a encarnar na História. O encontro entre as duas mulheres grávidas acaba por apresentar João como o precursor de Jesus. A sua «exultação» (v. 41) demonstra que ele reconheceu Jesus como o Senhor, e este seu reconhecimento torna-se um sinal para todos os leitores do Evangelho, também eles convidados a fazerem outro tanto. A primeira pessoa a aderir a este «anúncio» evangélico primitivo é Isabel, que declara Maria «bendita» (v. 42) e «bem-aventurada» (v. 45), porque contribui de modo essencial para o nascimento dAquele que trará a paz a Israel (Lc 2,14).

DA PALAVRA PARA A VIDA

A liturgia da Palavra impele-nos a deixar-nos envolver integralmente, sem demoras nem meias medidas, na fé no Senhor que vem. É o convite do profeta Miqueias na primeira leitura,

IV DOMINGO DO ADVENTO | 181

com o anúncio acerca da vinda de um rei que trará o bem mais desejável para o mundo: a paz.

O Evangelho, depois, apresenta duas mulheres mostradas a todos nós como exemplo: Maria e Isabel que souberam arriscar, dizer sim, acreditar. É este o gesto inicial que as introduziu num mistério maior do que elas, do qual veio para a Humanidade inteira a fonte da justiça, da paz e da esperança. Cada cristão é chamado a seguir o exemplo de Jesus, descrito na Carta aos Hebreus (segunda leitura), e a colocar o seu corpo ao serviço da vontade de Deus.

Cada cristão, de facto, sabe que na obra de Deus é que reside a felicidade, e por isso julgará qualquer outra coisa indigna em comparação com ela e decidirá no seu coração – como Maria – fazer a «santa viagem». Uma viagem em direcção a um mundo novo onde o sonho se torna realidade, onde todos os membros se põem em movimento pela vida que os atravessa. O mundo em que vivemos está apagado na alma, rico à superfície, mas, por dentro, despojado como um cadáver.

Os cristãos não podem renunciar a entrar no dom de Deus, testemunho de vida e de paz.

Oração

Senhor, dai-nos a coragem da paz.

Despertai no nosso corpo e nos nossos corações o sentimento da urgência de fazer a Vossa vontade.

Ensinai-nos a compreender que nada vale a pena no mundo, que não seja a obra da paz.

Dai-nos ouvidos para escutar e pés para caminhar em direcção aos outros e juntamente com eles, juntamente Convosco e em direcção a Vós.

**********************************************************************************************************************************************************************************************************************

12 20  Lc 1, 26-38Segunda Feira da semana IV 

EVANGELHO Lc 1, 26-38

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas

Naquele tempo, o Anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré, a uma Virgem desposada com um homem chamado José, da descendência de David. O nome da Virgem era Maria. Tendo entrado onde ela estava, disse o Anjo: «Ave, cheia de graça, o Senhor está contigo». Ela ficou perturbada com estas palavras e pensava que saudação seria aquela. Disse-lhe o Anjo: «Não temas, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Conceberás e darás à luz um Filho, a quem porás o nome de Jesus. Ele será grande e chamar-Se-á Filho do Altíssimo. O Senhor Deus Lhe dará o trono de seu pai David; reinará eternamente sobre a casa de Jacob e o seu reinado não terá fim». Maria disse ao Anjo: «Como será isto, se eu não conheço homem?» O Anjo respondeu-lhe: «O Espírito Santo virá sobre ti e a força do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra. Por isso o Santo que vai nascer será chamado Filho de Deus. E a tua parenta Isabel concebeu também um filho na sua velhice e este é o sexto mês daquela a quem chamavam estéril; porque a Deus nada é impossível». Maria disse então: «Eis a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra».

Palavra da salvação.

            A poucos dias do Natal a Igreja convida-nos a meditar no grande mistério da Encarnação do Cristo.
            No encontro com  Maria, o Anjo anuncia que Aquele que d’Ela vai nascer é o Messias prometido, o Descendente de David, Aquele que fora anunciado e prometido através de toda a história do povo de Deus, e sobre quem, finalmente, repousará o Espírito de Deus.
             Deus propôs e Maria colaborou no Seu Plano. O Verbo de Deus se faz carne no ventre de Maria. «Eis a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra». Ao dizer  Sim, colocou  a sua vida nas mãos de Deus. Sim  duro, difícil ! Em Maria cumpriu-se a palavra de Deus.

            Ela arriscou e entregou-se, generosamente, movida pelo desejo de um sentido para a vida e para a sua vocação. Maria podia ter dito não. Deus respeita profundamente a minha liberdade. Perante os desafios da vida eu posso optar.

             Como Maria sintamo-nos abençoados  na nossa missão mesmo não percebamos bem o caminho a seguir  Como ela aceitamos servir a Deus participando na construção do Reino de Deus, aqui e agora, reconhecendo quem precisa de nós  Como ela tememos e interrogamo-nos mas no final confiamos

            Confiemos  o amanhã a Deus e à Mãe. Entreguemo-nos  tranquilamente, Jesus e Maria caminham a nosso  lado. Não estamos sós. Vivamos continuamente  a confiança

             “Ave-Maria”, a oração por excelência dirigida à Virgem Maria Desde crianças que a aprendemos… dificuldades, pelo que a interpretação que o papa faz desta oração assume particular relevância, refletindo sobre a mulher e o seu papel na sociedade e no mundo.

ORAÇÃO

Infundi Senhor, nós  Vos suplicamos a Vossa Graça em nossas almas, para que nós, que pela Anunciação do Anjo conhecemos a Encarnação de Jesus Cristo Vosso Filho, e que pela Sua Paixão e Morte na Cruz, sejamos conduzidos à glória na ressurreição, pelo mesmo Jesus Cristo e Senhor nosso. Amém.

VIDEO DE MEDITAÇÃO

Ao escutar este hino à Virgem do Sim invoquemo-la …

12 21  Lc 1, 26-38 terça feira da Quarta Semana do Advento  .docx

EVANGELHO Lc 1, 26-38 «Donde me é dado que venha ter comigo a Mãe do meu Senhor?»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naqueles dias, Maria pôs-se a caminho e dirigiu-se apressadamente para a montanha, em direcção a uma cidade de Judá. Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino exultou-lhe no seio. Isabel ficou cheia do Espírito Santo e exclamou em alta voz: «Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. Donde me é dado que venha ter comigo a Mãe do meu Senhor? Na verdade, logo que chegou aos meus ouvidos a voz da tua saudação, o menino exultou de alegria no meu seio. Bem-aventurada aquela que acreditou no cumprimento de tudo quanto lhe foi dito da parte do Senhor».

Palavra da salvação.

REFLEXÃO

Reflexão – “A visitação  e o significado ”

            Depois de aceitar ser Mãe do Messias Esperado, Maria sai para visitar e ajudar sua prima Isabel que está grávida: “Aquela que era considerada estéril já faz seis meses que está grávida” (Lc 1,3b).Partilha  com ela a alegria das maravilhas operadas no seu intimo.
            Isabel, uma mulher já de idade avançada, responde com humildade “«Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. Donde me é dado que venha ter comigo a Mãe do meu Senhor?
            Maria  faz Isabel sentir a alegria de uma maternidade não esperada e Isabel faz Maria sentir as maravilhas que Deus realizou nela. “Feliz  és tu porque que acreditaste” 
            Este   encontro insere-se no projeto de Deus a favor da humanidade – Deus faz uma aliança com o povo de Israel.  Isabel representa a Antiga Aliança que termina e Maria, o novo Testamento que começa.
             O elogio de Isabel a Maria é um profundo reconhecimento de sua fé e confiança no Senhor: Confiou em Deus, cultivou a certeza de que, apesar de todas as aparências contrárias, a Palavra do Senhor haveria de se cumprir.
            Não é fácil acreditar como Maria e Isabel. Precisamos muita coragem para acreditar nas promessas feitas por Deus aos que promovem a paz, aos não violentos, àqueles que oferecem a outra face, àqueles que não se vingam, àqueles que doam a vida por amor.      

            Como Maria nos ensina, seguindo o seu exemplo vale a pena confiar nas Palavras do Senhor: «Mais felizes são aqueles que – como Maria fez – ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática.» (Lc 11,28)

ORAÇÃO

Deus eterno e omnipotente,

que inspirastes à bem-aventurada Virgem Maria

o desejo de visitar Santa Isabel,

concedei-nos que, dóceis

à inspiração do Espírito Santo,

possamos com Maria cantar sempre

as Vossas maravilhas.

VIDEO DE MEDITAÇÃO

Como o artista cinematográfico inspirou a cena da Visitação:

12 22   Lc 1, 46-56 Quarta feira da Quarta Semana do Advento  .docx


EVANGELHO Lc 1, 46-56
«O Todo-poderoso fez em mim maravilhas»


Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas

Naquele tempo, Maria disse: «A minha alma glorifica o Senhor e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador. Porque pôs os olhos na humildade da sua serva: de hoje em diante me chamarão bem-aventurada todas as gerações. O Todo-poderoso fez em mim maravilhas, Santo é o seu nome. A sua misericórdia se estende de geração em geração sobre aqueles que O temem. Manifestou o poder do seu braço e dispersou os soberbos. Derrubou os poderosos de seus tronos e exaltou os humildes. Aos famintos encheu de bens e aos ricos despediu de mãos vazias. Acolheu a Israel, seu servo, lembrado da sua misericórdia, como tinha prometido a nossos pais, a Abraão e à sua descendência para sempre». Maria ficou junto de Isabel cerca de três meses e depois regressou a sua casa.

Palavra da salvação…

 

REFLEXÃO

            O Magnificat celebra a graça da libertação que Deus concedeu a  Israel, pobre, humilhado,desprezado pelos pobres vizinhos. Maria neste canto encarna a libertação do seu povo do qual ela é a protagonista virgem que dá à luz o Salvador.

            Foi  agraciada com a honra de participar do ato mais sublime de Deus em favor de sua criação e mesmo sem entender, obedece. Foi mulher escolhida por Deus como símbolo de servidão de sua parte e de exemplo de amor da parte de seu criador.

            O criador mostra a preferência por aqueles que se reconhecem pequenos, como o fez Maria, que em vários momentos demonstra a sua servidão como principal traço de sua personalidade; uma servidão obediente diante dos mistérios de Deus

«Dispersou os soberbos.» que  não querem ver realizado o Reino de Deus

«Derrubou os poderosos de seus tronos.» os  auto suficientes

«Exalta os humildes.» Faz surgir um mundo novo  mudança radical do coração de todos, é o mundo novo em que já não existem os dominadores,

«Aos famintos encheu de bens.» Onde a proposta de sociedade querida por Deus é acolhida, haverá pão em abundância. Toda a fome será saciada.

«Aos ricos despediu de mãos vazias.» Não é uma ameaça de condenação ao Inferno nem promessa de justas reivindicações sociais, mas anúncio de salvação: Deus fará desaparecer da terra  quem acumula bens para si, explora o irmão e lhe rouba o alimento.

«Acolheu a Israel, seu servo», não porque o mereceu, e sim pelos sentimentos maternos que o Senhor sente pelo Seu povo necessitado.

ORAÇÃO

Infundi, Senhor, a Vossa graça

em nossas almas, para que nós,

que pela Anunciação do anjo

conhecemos a encarnação de Cristo Vosso Filho,

pela Sua Paixão e morte na Cruz

alcancemos a glória da ressurreição.

VIDEO DE MEDITAÇÃO

A minha alma glorifica ao Esenhor

12 23   Lc 1, 57-66 Quinta feira da Quarta Semana do Advento  .docx

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas

Naquele tempo, chegou a altura de Isabel ser mãe e deu à luz um filho. Os seus vizinhos e parentes souberam que o Senhor lhe tinha feito tão grande benefício e congratularam-se com ela. Oito dias depois, vieram circuncidar o menino e queriam dar-lhe o nome do pai, Zacarias. Mas a mãe interveio e disse: «Não, ele vai chamar-se João». Disseram-lhe: «Não há ninguém da tua família que tenha esse nome». Perguntaram então ao pai, por meio de sinais, como queria que o menino se chamasse. O pai pediu uma tábua e escreveu: «O seu nome é João». Todos ficaram admirados. Imediatamente se lhe abriu a boca e se lhe soltou a língua e começou a falar, bendizendo a Deus. Todos os vizinhos se encheram de temor e por toda a região montanhosa da Judeia se divulgaram estes factos. Quantos os ouviam contar guardavam-nos em seu coração e diziam: «Quem virá a ser este menino?» Na verdade, a mão do Senhor estava com ele.

REFLEXÃO
O Evangelho de hoje apresenta um acontecimento maravilhoso : o tempo da «recordação» dá lugar à  realização das promessas do Senhor.
Deus compadeceu-se com a esterilidade de Isabel dando-lhe um filho na sua velhice  pois Deus  mostra sempre a misericórdia , o seu carinho e a sua ternura vindo a favor de  quem precisa do seu auxílio.
Zacarias , seu pai, é símbolo do povo de Israel o qual, durante todo o tempo do Antigo Testamento, continuou a transmitir, de pai para filho, «a lembrança» das profecias,.
João Baptista assinala o início de uma nova  época. Acabou o tempo em que se relembram as promessas, chegou o tempo em que se vê em actuação a bondade de Deus. O anjo que apareceu a Zacarias indicou o nome desejado por Deus: «João» (Lc 1,13), que significa o Senhor tem piedade, manifestou a Sua bondade, a Sua benevolência.
Zacarias acolheu a alegria do mundo novo que estava para começar através de uma  conversão, uma mudança radical da imagem de Deus que tinha concebido.
Deus tornou-o mudo durante nove meses. Quando lhe nasceu o filho, compreendeu: Deus é amor. Readquiriu a palavra e exclamou: «Yohanan!» – «O Senhor tem piedade», é benevolente, é ternura.
Zacarias é simbolo do  verdadeiro Israel, o resto fiel que descobre  o verdadeiro rosto de Deus e pronuncia a única verdade que d’Ele se pode dizer: «Ele é só amor.»
Para que Deus entre na nossa vida não basta rezar mais ou corrigir algum vício mas sobretudo mudar a nossa   mente e do coração, mudança da imagem de Deus que criámos e que deriva de raciocínios e critérios humanos, para fazer nosso o rosto que Deus revelou nas Sagradas Escrituras.
 
 
ORAÇÃO
Despertai, Senhor, a vontade dos Vossos fiéis, para que, correspondendo mais generosamente à acção da graça divina, recebamos maiores auxílios da Vossa bondade.

VIDEO DE MEDITAÇÃO

https://www.eelmoh-dictof.com/wp-content/uploads/2021/12/Seu-nome-sera-Joao-_-Natividade-do-Batista-_-combonianos-_-2017.mp4

12 24  Lc 1, 67-79 Sexta  feira .docx

 

 

 

 

 

 

EVANGELHO Lc 2, 1-14   (Missa da noite do dia 24)

«Nasceu-vos hoje um Salvador»

 

 

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas

Naqueles dias, saiu um decreto de César Augusto, para ser recenseada toda a terra. Este primeiro recenseamento efectuou-se quando Quirino era governador da Síria. Todos se foram recensear, cada um à sua cidade. José subiu também da Galileia, da cidade de Nazaré, à Judeia, à cidade de David, chamada Belém, por ser da casa e da descendência de David, a fim de se recensear com Maria, sua esposa, que estava para ser mãe. Enquanto ali se encontravam, chegou o dia de ela dar à luz e teve o seu Filho primogénito. Envolveu-O em panos e deitou-O numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria. Havia naquela região uns pastores que viviam nos campos e guardavam de noite os rebanhos. O Anjo do Senhor aproximou-se deles e a glória do Senhor cercou-os de luz; e eles tiveram grande medo. Disse-lhes o Anjo: «Não temais, porque vos anuncio uma grande alegria para todo o povo: nasceu-vos hoje, na cidade de David, um Salvador, que é Cristo Senhor. Isto vos servirá de sinal: encontrareis um Menino recém-nascido, envolto em panos e deitado numa manjedoura». Imediatamente juntou-se ao Anjo uma multidão do exército celeste, que louvava a Deus, dizendo: «Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados».

Palavra da salvação.

 

REFLEXÃO

S.  Lucas enquadra historicamente o nascimento de Jesus: Em Nazaré no reinado de César Augusto e durante um recenseamento    (w. 1-3)

 Os  pastores foram os primeiros a receber e a compreender o anúncio, e a transmiti-los . Assim o acontecimento cristão caminha na História.  A maravilha do Natal é que quem é proclamado Senhor, Messias e Salvador é uma criança envolta em faixas e deitada numa manjedoura.

Na noite de Natal os anjos cantam: «Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados.» (Lc 2,14a) A paz entre os homens é a contrapartida terrestre da glória que Deus tem nos céus. Tal   mostra que o Filho de Deus, precisamente por ser «glória» de Deus por essência, é para os homens dom de paz. Daqui deriva que a comunidade cristã, se pretende dar glória a Deus, deve ser sinal e instru­mento de paz entre os homens.

A expressão   «aos homens por Ele amados» (Lc 2,14b) indica a universalidade e a gratuitidade da paz. Deus ama cada homem sem fazer diferenças. A paz é dádiva vinda de Jesus. Não é simplesmente a conquista dos homens, embora de boa von­tade, mas uma dádiva que deriva do amor de Deus. A paz vem de Jesus, do Menino de Nazaré

A paz é a sombra visível, terrena, da glória invisível de Deus.A glória é o rosto de Deus, o seu amor universal. Ouve-se dizer, por vezes, que a guerra é justa e necessária. Talvez, mas o cristão não poderá jamais falar de guerra de Deus. A glória de Deus, seja como for, não resplandece na vitória sobre os inimigos, mas na paz com eles. A glória de Deus não é a glória dos generais.

Oração

Senhor nosso Deus, que fizestes resplandecer esta santíssima noite com o nascimento de Cristo, verdadeira luz do mundo, concedei-nos que, tendo conhecido na terra o mistério desta luz, possamos gozar no Céu o esplendor da Sua glória.

Video de Meditação

Há mais de duzentos anos que o acontecimento Natal ficou registado no Canto “Noite Feliz”