07 06  Mt 9, 14-17 Sábado  A presença de Cristo  motivo de alegria para todos 

07 06  Mt 9, 14-17 Sábado  A presença de Cristo  motivo de alegria para todos

EVANGELHO Mt 9, 14-17

«Podem os companheiros do esposo ficar de luto,
enquanto o esposo estiver com eles?»
Jesus explica que os discípulos não jejuam enquanto Ele, o “esposo”, está com eles, pois é um tempo de alegria. Após Sua partida, jejuarão. Usa a metáfora do remendo novo em roupa velha e vinho novo em odres velhos para ilustrar a necessidade de renovação e adaptação espiritual.Jesus usa a metáfora do remendo novo em roupa velha e vinho novo em odres velhos para mostrar que sua mensagem e ensinamentos exigem uma mudança de mentalidade e coração, uma renovação espiritual que não se encaixa nas antigas tradições.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus


Naquele tempo, os discípulos de João Batista foram ter com Jesus e perguntaram-Lhe: «Por que motivo nós e os fariseus jejuam e os teus discípulos não jejuam?». Jesus respondeu-lhes: «Podem os companheiros do esposo ficar de luto, enquanto o esposo estiver com eles? Dias virão em que o esposo lhes será tirado: nesses dias jejuarão. Ninguém põe remendo de pano novo em vestido velho, porque o remendo repuxa o vestido e o rasgão fica maior. Nem se deita vinho novo em odres velhos; aliás, os odres rebentam, derrama-se o vinho e perdem-se os odres. Mas deita-se o vinho novo em odres novos e assim ambas as coisas se conservam».
Palavra da salvação.

 

Reflexão 

 

No Evangelho de Mateus (Mt 9, 14-17), Jesus é questionado sobre a prática do jejum. Sua resposta revela uma verdade profunda sobre Sua presença e a nova aliança que Ele veio estabelecer. Utilizando a metáfora do esposo, Jesus  convida nos a compreender os tempos de alegria e os tempos de luto, e a ajustar nossas práticas espirituais de acordo com a Sua presença em nossas vidas.(“Podem os companheiros do esposo ficar de luto, enquanto o esposo estiver com eles?”) (Mt 9, 15).

Jesus  compara se ao esposo para ilustrar a nova realidade que Ele introduz no mundo. No Antigo Testamento, Deus é frequentemente comparado a um esposo para expressar Seu amor e fidelidade à humanidade (Isaías 54, 5). Agora, Jesus, como o Esposo, traz consigo um tempo de alegria e celebração. Enquanto está presente entre Seus discípulos, há um motivo para celebração, não para jejum.

No entanto, Jesus também aponta para um tempo futuro, quando o Esposo será tirado, referindo-se à Sua paixão e morte. Nesses dias, os discípulos jejuarão. Isso nos ensina a importância de discernir os tempos e responder adequadamente às diferentes fases da nossa vida espiritual.

Vivemos em tempos desafiadores, onde muitas vezes podemos sentir a ausência do Esposo em meio às dificuldades e sofrimentos. No entanto, a promessa de Jesus é de que Ele está sempre conosco, especialmente na Eucaristia e na comunidade de fé. Devemos, portanto, encontrar momentos de alegria na Sua presença, mesmo enquanto aguardamos com esperança o Seu retorno.

             Como fiéis, somos chamados a viver com discernimento, reconhecendo os tempos de alegria na presença de Cristo e os tempos de jejum e penitência em preparação para Sua vinda. Devemos manter nossos corações e mentes abertos para as novas formas de graça que Jesus nos oferece, adaptando nossas práticas espirituais para refletir a realidade da Sua presença em nossas vidas.

Oração

         Senhor Jesus, nosso amado Esposo, ajuda-nos a reconhecer a Tua presença em nossas vidas. Concede-nos a graça de celebrar com alegria quando estamos contigo e a força para jejuar e nos preparar para a Tua vinda. Que possamos ser sempre odres novos, prontos para receber o vinho novo da Tua graça. Amém.