05/24 Segunda-Feira da Semana VIII

“Eis o teu filho…Eis a tua Mãe”

EVANGELHO João (19, 25-27)

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

 

A Crucificação

25 Perto da cruz de Jesus estavam sua mãe, a irmã dela, Maria, mulher de Clopas, e Maria Madalena. 26 Quando Jesus viu sua mãe ali, e, perto dela, o discípulo a quem ele amava, disse à sua mãe: “Aí está o seu filho”, 27 e ao discípulo: “Aí está a sua mãe”. Daquela hora em diante, o discípulo a recebeu em sua família.

Palavra da salvação.

 

REFLEXÃO

No dia em que somos convidados a refletir em Maria Mãe de Igreja o Evangelho proposto (João 19, 25-27) leva-nos ao Monte Calvário para aprofundarmos a dor e a fé de Maria junto à cruz de seu Filho.

Assistiu como mãe e chorou como mãe e associou-se com o seu filho ao perdão quando na Cruz disse:” Pai, perdoa-lhes! Eles não sabem o que fazem! “(Lucas 23,34),

 

O “faça-se em mim segundo a vossa palavra” deve passar de Maria para cada um de nós e imitá-la “Junto da cruz de Jesus estava Maria, sua Mãe, e, junto dela, o discípulo que ele amava”

 O que aconteceu naquele dia indica o que deve acontecer cada dia: é preciso ficar junto da cruz de Jesus, como aí ficou o discípulo que ele amava. Não é suficiente ficar perto da cruz, no sofrimento. Decisivo é ficar perto da cruz “de Jesus”. O que vale não é a própria cruz, mas Cristo. Não é o fato de sofrer, mas de acreditar, apropriando-se assim do sofrimento de Cristo. A primeira coisa é a fé. A realidade maior de Maria junto da cruz foi a sua fé, maior ainda do que o seu sofrimento.

 

 Paulo diz que a palavra da cruz é poder de Deus e sabedoria de Deus para aqueles que são chamados” (1Corintios 1,18-24) e diz que o Evangelho é poder de Deus “para todos aqueles que creem” (Romanos 1,16)

 

ORAÇÃO

Oração a Nossa Senhora das Dores

Ó Mãe de Jesus e nossa mãe,
Senhora das Dores, 
nós vos contemplamos pela fé,
aos pés da cruz,
tendo nos braços o corpo sem vida do vosso Filho. 
Uma espada de dor trespassou vossa alma
como predissera o velho Simeão. 
Vós sois a Mãe das dores 
E continuais a sofrer as dores do nosso povo,
porque sois Mãe companheira, peregrina e solidária. 
Recolhei em vossas mãos os anseios e as angústias do povo sofrido,
sem paz, sem pão, sem teto, sem direito a viver dignamente. 
E com vossas graças, fortalecei aqueles que lutam
por transformações em nossa sociedade. 
Permanecei connosco e dai-nos o vosso auxílio,
para que possamos converter as lutas em vitórias e as dores em alegrias. 
Rogai por nós, ó Mãe, 
porque não sois apenas a Mãe das Dores,
mas também a Senhora de todas as Graças. 

Amém!

CANTO DE MEDITAÇÃO

Ave Maria mãe da Igreja, Santa Maria minha mãe.